A Bíblia como módulo primordial de ciências acessível a todos nós

Por Vinícius Pereira Reis Barbosa

Apesar de neste blog nós partilharmos a respeito de temas que fazem parte do nosso cotidiano ou que estão relacionados ao nosso interesse e perspectiva, junto a nossa intenção de tornar públicas as nossas opiniões, prezamos também pelo exercício da nossa criatividade, produção e uma favorável ampliação do nosso senso crítico. Por causa disso, não deixo de levar em conta a infinidade de idéias que, consequentemente, surgem através deste grande incentivo. Mas, e se nós mesmos fôssemos esta idéia? É exatamente isso que você está lendo: E se o homem parasse para analisar o homem acerca de elementos que compõem a análise do que está ao seu redor e consequentemente dele mesmo. Isso justificaria um pouco do que somos? E se justificasse, apenas isso bastaria?

Neste momento, me senti inclinado a refletir sobre o ser humano utilizando também como ponto de vista não só o que ele é, mas o que ele deve ser. Essa perspectiva é ligeiramente justificada pelo fato de sermos um produto do meio em que vivemos, levando em consideração que, se esse meio em que vivemos nos oferece algo em que possamos nos basear, então esse algo, que eu entendo que sejam fatos ou seres humanos, deve seguir um paradigma dentre vários, que no geral, farão que esse meio norteie ou não as nossas atitudes. Esse paradigma, meu caro leitor, pode ser traduzido nas nossas metas pessoais ou ideais que nos fazem aceitar o ser humano não mais como apenas mais um organismo vivo que é capaz de pensar, mas como o ser humano que, aliado a todo seu contexto pessoal e existencial, busca sempre preencher o seu vazio visando algo que lhe sirva de apoio e inspiração em meio às dificuldades que a vida oferece: Uma Religião.

Estudo

A partir dessa idéia, como cristão, comecei a ler a Bíblia em busca de respostas: Algo que descreva para mim o quebra-cabeças que é a mente do ser humano, lançando como pressuposto e como citado anteriormente a sua existência (corpo, ser, etc.) e a sua vontade de existir (essência, alma, etc.), objetivando também não provar algo para os outros, mas para mim mesmo. E para aproveitar o ensejo, convido você leitor a viajar comigo nesse mundo de desdobramentos históricos aparentemente remotos, mas ao mesmo tempo tão presentes e reais nas nossas vidas.

Acerca deste estudo que com brevidade vou demonstrar, queria com antecedência lembrar que o mesmo é feito visando à obtenção de um conhecimento mais elaborado do homem e do que ele acredita, e não algo que venha a despertar a curiosidade em relação a assuntos que envolvem questões polêmicas ou discriminatórias religiosas que, a depender do leitor, precisam de esclarecimentos que ele mesmo deve também estar disposto a ouvir. Junto a esse pressuposto, proponho que o leitor desperte primeiro o interesse que este tipo de interpretação torna necessário, afim de que por conseguinte seja desperta aos poucos em si uma maneira cristã de aceitação de determinados acontecimentos que, diretamente ou não, revelam aspectos-chave que lançaremos mão durante todo o estudo. Este, por sua vez, nos mostrará que o estudante, para se tornar desde um filósofo, teólogo ou exegeta, até um cientista, engenheiro ou advogado, deve passar primeiro pela curiosidade e pelo interesse (algo que eu quero enfatizar nesse texto), mais um motivo pelo qual a Bíblia se torna acessível a todos que queiram aprender com ela.

Como exemplo, queria dar um breve demonstrativo de um estudo bíblico que eu fiz do livro do Genesis, capítulo 2, versículos de 15 a 25 (Gn 2,15-25) e do capítulo 3 versículo 1 (Gn 3,1).

1) Capítulo 2, Versículo 21:“Então Javé Deus fez cair um torpor sobre o homem e ele dormiu. Tomou então uma costela do homem e no lugar fez crescer carne.”

Interpretação da passagem:

•Estabelece todo o sentido de doação do homem para se manter nos projetos de Deus, associado a sua submissão.

•O fato de Adão ter adormecido pode repercutir em ele não ter ciência do poder de Deus.

•O fato de Deus ter feito crescer carne no lugar da costela retirada pode significar:

1-      O poder de Deus;

2-      O fato de que uma “costela” a menos não faz diferença a ponto de interferir nos projetos de Deus;

3-      O fato de que deveria haver um sacrifício por parte do homem, só que este sacrifício não necessariamente deveria ser algo palpável e sim uma representação da idéia de doação, partilha e companheirismo (hebraico: homem = ish; mulher = ishah, ah = companheiro/irmão).

(Versículos subseqüentes)

•O motivo pelo qual Deus criou a mulher foi para que ela servisse de companheira para o homem, dando a idéia de que o homem sozinho não poderia cumprir o que Deus designou.

•A carne também é marcada com uma característica particular: Além de representar a nossa composição orgânica (o que nos difere de Deus), denota uma espécie de “união humana” nos levando à idéia de que o homem deve gerar novos semelhantes não mais a partir do osso, ou do barro, o que era possível apenas por Deus.

2) Capítulo 2 Versículo  25: “Ora, o homem e sua mulher estavam nus, porém não sentiam vergonha.”

Interpretação da passagem:

•Uma possível definição de “vergonha” seria um sentimento de resguardo interior dado em função da diferença entre os dois indivíduos, já que até o momento eles se viam como semelhantes um do outro.

•O sentimento de companheirismo, junto à pureza vinda originalmente de Deus, impede que surja qualquer sentimento que venha a trazer algum tipo de medo, culpa, idéia de diferenciação superficial e consequentemente vergonha.

3) Capítulo 3 Versículo  1: “A serpente era o mais astuto de todos os animais do campo que Javé Deus havia feito. Ela disse para a mulher: “É verdade que Deus disse que vocês não devem comer de nenhuma árvore do jardim?”

•Designação de astúcia para com a serpente.

•Da tradução vinda do hebraico temos como mais próximo de serpente o termo “Nachash” que também é atribuído ao verbo sussurrar, que por sua vez da a idéia de falar às escondidas.

1-      Daí pode-se concluir que Deus aceita aqueles que são transparentes, que não têm nada a esconder d’Ele.

• No hebraico, astúcia tem o mesmo significado de inteligência “Nagib”. Já que este termo é algo explicito na passagem, então

1-      A inteligência também é algo que pode ser utilizado para o mal, não sendo necessariamente algo positivo em todas as circunstâncias.

2-      Se a serpente se utilizou de grande inteligência sorrateiramente, então suas intenções eram más, pois eram escondidas de Deus, que é bom.

3-      “A obediência deve vir antes da malícia”.

4-      Se o homem é criação de Deus que é bom, então ele teria perfeitas condições de se sustentar sem ser por meio do fruto proibido.

5-      Já que a serpente era um anjo, sabia da onipresença de Deus, sussurraria então para dar a impressão à mulher de que Deus não estava ali no momento.

6-      O demônio só obtém sucesso junto à ação humana.

Como deu para perceber, assim como existem diversas interpretações possíveis para apenas duas passagens, já dá pra imaginar o que seria interpretar a Bíblia inteira: Algo extremamente cansativo, longo e trabalhoso. Entretanto, é justamente partindo deste ponto que eu quero enfatizar o fato de que a partir da infinidade de ensinamentos que a Bíblia nos propõe a desfrutar, nós podemos também interpretar elementos importantíssimos para nós mesmos, nossa crença e por fim nossa vida, portanto pode e deve ser um estudo gradativo e feito com calma e atenção. Junto a essa conclusão, faço questão de mostrar aqui que esse tipo de experiência para mim tem sido incrível, pois sacia e muito a minha sede de conhecimento ao mesmo tempo em que me afasta de certas coisas que o homem oferece que antes só me destruíam e me desanimavam, coisas que deixam a mente inerte e isolada de desafios.

Para concluir, espero que este “testemunho ideológico-demonstrativo” desperte a curiosidade e o desejo pela Palavra de Deus assim como as novas possibilidades científicas e conclusões que podem ser extraídas dela. Muitos cristãos realmente não têm idéia da beleza que está contida na Bíblia e também do que se pode entender ao interpretá-la. Mais uma vez retomo o convite.

A Bíblia

Anúncios

7 Respostas para “A Bíblia como módulo primordial de ciências acessível a todos nós

  1. E que convite, Vinícius!

    Estudar a Palavra é estudar a nós mesmos. É estudar sobre o amor, sobre a vida, sobre tudo que existe, já que a Bíblia é a Palavra de Deus, o Verbo de Deus, que se fez carne, o Verbo, que tudo criou.

    “E Deus disse”. Assim o mundo foi criado. A partir da Palavra de Deus. Precisamos tomar consciência de que a Bíblia não é um grande livro, ou o melhor livro, ou o mais famoso livro. Trata-se da Palavra de Deus, acima de qualquer literatura.

    É preciso que o leitor compreenda, como você mesmo falou, que não se trata de discutir questões polêmicas ou rebater teoria de A ou de B. Aqui estou falando a partir do ponto de vista que move Vinícius: tenho uma fé e preciso alimentá-la, sob o risco de me perder no mundo, cercado de tantas serpentes, sorrateiras e astuciosas.
    Gostei muito do que Vinícius falou acerca da inteligência da serpente. Sim, a inteligência pode ser utilizada para o mal. Quando isso acontece? Quando é usada longe de Deus.

    A serpente falou baixo. Usou sua inteligência fora dos planos de Deus, onde Ele não estivesse presente. Claro que falo isso em um sentido figurado, já que Deus é onipresente, e nada escapa do seu olhar.

    Se uso minha inteligência fora do olhar, ou seja, da bênção de Deus, bons frutos a minha ação não dará.

    É importante refletirmos sobre esse convite que você faz, que para mim se resume em dois questionamentos:

    – Estou usando minha inteligência (meus talentos, meus dons) na presença de Deus?
    – Tenho buscado conhecer a Deus e trazê-lo para a minha vida?

    Parabéns pelo belo texto e pela tão inspirada interpretação para essas duas passagens, Vinícius!

  2. Interessante o texto.
    É importante enfatizar o fato de que a Bíblia não é apenas a História da religião católica, como muita gente de certo deve pensar, mas é o maior compêndio de ensinamentos, filosofia, que tem como objetivo primordial ensinar a maneira certa de se viver. E quando se fala em maneira de viver não é apenas ir a Igreja todos os dias, fazer dízimo, etc. É conhecer as formas que o demônio nos tenta, refletir onde estão as fraquezas, as virtudes, de forma a fazermos uma melhor caminhada rumo a vida eterna. A Bíblia ensina como perdoar, como agir com a família, amigos, e até os inimigos.
    E antes de apenas ler toda a Bíblia, devemos aprender a lê-la, pois um capítulo bem lido pode nos ensinar coisas que passaríamos a vida toda a vagar em pensamentos obscuros, e nunca haveríamos de chegar a uma conclusão correta. Ler cada versículo em minúcias, como fez Vinícius com alguns exemplos.
    E quanto ao que Vinícius disse no começo do texto, que não iniciaria discussões polêmicas, a Bíblia é sim definitiva a respeito de TODOS eles. E já sabemos disso, embora muitas vezes nos perguntemos se essa decisão é realmente certa. Aborto, Eutanásia, suicídio, drogas, prostituição, etc. Claro que todos falaremos: sou contra o aborto! Mas é difícil falar isso se pensarmos em nossa namorada, irmã, esposa, mãe sendo estuprada e carregando o fruto desse crime hediondo por 9 meses… A Bíblia simplesmente não diz: Não Abortarás!! Ela ensina em várias passagens, inclusive mostrando como aliviar a dor.

    Enfim, foi um ótimo tema, necessário inclusive, para que saibamos a quem recorrer nas horas de pesar: à Palavra de Deus.

  3. Quando meu esposo e eu namorávamos uma das coisas que nos ajudava muito para viver a santidade no namoro era fazer o estudo da palavra. Algumas vezes fazíamos juntos, outras não, mas o que importava para nos, era essa busca, essa sede de Deus palavra. Toda essa interpretação que você traz para nos leitores me fez recordar, o saudoso padre Leo,quando nas suas pregações, nos trazia um entendimento de cada parte do evangelho, nos apresentando de forma aprofundada o sentido de cada parte da palavra de Deus.No meu ponto de vista a bíblia tem dois sentidos de interpretação: ou aprendemos de forma alienada, ou de forma coerente. De uma coisa tenho certeza Jesus era um homem muito sábio e muito coerente, quando falava qualquer coisa. Se pegarmos a parte de Pedro na bíblia, quando ele nega Jesus para os fariseus deixa claro justamente a nossa limitação como seres humanos. Pedro dizia a Jesus que nunca o abandonaria, Jesus por sua vez, falava para Pedro que ele iria negá-lo, porque Jesus sabia da sua limitação.
    Parabéns Vinicius!
    Gostei muito do seu texto. Tive melhor compreensão tanto na interpretação quanto na organização de palavras.

  4. Gostaria de indicar para os leitores que participam desse Blog ou os que nos visitam, a comprar o livro do padre Jonas Abib da comunidade canção nova ” A bíblia no meu dia a dia”.

  5. Parabéns pelo texto Vinícius!
    Muita gente pensa que a Bíblia é um livro qualquer, e que como Eduardo disse, fala da história da religião católica. Para lê-la é preciso estar disposto a entender o que está escrito e absorver seus ensinamentos.
    Eu ainda não li a Bíblia por completo, só algumas partes, mas falo essas coisas com base no que já ouvi e no pouco que li do livro sagrado. É inegável a presença de Deus em tudo que acontece. Inclusive os cientistas mais famosos como Isaac Newton acreditam em sua existência. O que existem são divergências quanto a quem é esse Deus, como ele age, etc mais ou menos isso, não sei se deu para entender.
    Como também Eduardo, e Andrea disseram, percebe-se na Bíblia que Deus não é taxativo, ele é coerente, é justo, é bondoso. A partir disso, nós podemos entender que por mais que a pessoa tal aja de determinado modo não cabe a nós julgar suas ações, pois não sabemos o que se passa com ela, só Ele sabe. Uma imagem que me vem à cabeça quando se fala de julgamento é a do filme “o auto da compadecida”, no momento em que Maria intercede por Chicó, se eu não me engano.
    Por mais ruins que nós possamos ser, somos filhos d’Ele, e isso já nos torna muito bons desde o nascimento. E saber que em qualquer momento podemos ‘conversar’, ‘desabafar’ que Ele estará sempre nos ouvindo e nos aconselhando de alguma forma.

    Muito bom o texto Vinícius. Mesmo mesmo xD

  6. Vinicius através desse texto consegue nos motivar para a leitura e a exploração da riqueza das Sagradas Escrituras. A Bíblia é dom a ser administrado com zelo e que cabe à Igreja e seus fiéis a responsabilidade para o uso condizente das suas escrituras.
    Que é o ser humano? As respostas são muitas, e nenhuma esgota o assunto. As ciências humanas contribuem, cada qual, com a sua perspectiva e com valiosas descobertas; mas é na Biblia que encontramos sentido e respostas para o “ser” humano; nossa origem, destino e sentido existencial.

  7. Muito interessante seu texto!

    A parte que mais me chamou atenção foi: “O demônio só obtém sucesso junto à ação humana.” Essa interpretação que você fez da passagem é uma verdade que as vezes nem dos damos conta. O “encardido” não tem força alguma por ele só, é através de nós humanos. Então a situação em que o mundo se encontra não é culpa do “encardido”, nem tampouco de Deus, mas sim do ser humano, que se afasta de Deus e por conseqüência, se tornando fraco e rende-se às vontades e mentiras do “encardido”.

    Realmente a Bíblia nos trás várias interpretações diferentes para um único versículo, e junto com essas diferentes interpretações, lições e ensinamentos para aplicarmos na nossa vida e desse modo, sermos felizes (e fazermos felizes quem nos rodeia).

    Parabéns pelo texto Vinícius!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s