A inveja

inveja_002

Por Maria Andréa Souza de Andrade Nascimento

Dentre os sete pecados capitais, segundo o psicólogo Antônio Carlos, “a inveja é o que mais atormenta nossa existência”. No discorrer do texto traçarei dois paralelos sobre os possíveis males que a inveja traz para nós, tanto na visão espiritual quanto na visão psicológica.Quando Deus fez os animais e todas as coisas viu que tudo era bom, só que Ele percebeu que faltava alguma coisa na natureza: alguém que cuidasse dela e de todas as coisas que a compõe, então fez o homem. Depois, percebendo que o homem estava sozinho, fez sua companheira, a mulher. Depois de tudo feito, Ele, com sua sabedoria, deu ao homem o livre arbítrio. O demônio, com inveja do criador do universo, não conformado com tamanha inteligencia e sabedoria de Deus, não se conteve ao saber que o homem, criatura tão pequena, havia recebido tanta graça, tantos dons do Criador..

São Tomaz de Aquino descreve em uns de seus livros que o pecado da inveja “é a figura orgulhosa de Satanás”. Se pegarmos mais adiante, ainda no livro do Gênesis, encontraremos também outro exemplo do pecado da inveja: o caso dos dois irmãos, Caim e Abel, filhos de Adão e Eva.Como cada um deles tinha uma contribuição nas tarefas do  dia-a-dia,Caim cuidava da plantação e Abel, por sua vez, cuidava dos cordeirinhos.Como era muito comum na quela época fazer oferendas a Deus,então Caim ofereceu os frutos do solo e Abel os primeiros couros dos carneirinhos e sua gordura. Deus se agradou da oferenda de Abel. Caim, insatisfeito, ficou furioso e decidiu matar seu irmão, para que só restasse ele, para que ele se tornasse o centro das atenções. Deus advertiu Caim da seguinte forma:

“A ti vai seu seu desejo, mas tu deves dominá-lo.”

Como sabemos, Caim não controlou seu desejo e acabou matando seu própio irmão. Esse foi o primeiro assassinato da história, e aconteceu por causa da inveja.

Um outro fato marcante na Biblia é quando  Jesus foi crucificado: soltaram Barrabás, que era um criminoso, e crucificaram a Jesus, um homem bom, que só queria o bem para as pessoas.Alguns, por inveja do seu jeito cativador, tramaram a sua morte. Pilatos sabia disso, porque no julgamento de Jesus os acusadores não tinham argumentos nenhum para condená-lo, mas, para não desapontar o povo, Pilatos lavou as mãos e o entregou à morte. Somente para finalizar essa primeira parte enfatizarei mais uma passagem bíblica: a história de Davi e Saul.Como Davi era talentoso e valente, Deus concedia-lhe grandes bençãos. Saul, por sua vez, era Rei e não se conformava com a tal situação. A inveja de Saul o levou a perseguir Davi, buscando a sua morte. Quantas vezes nós não estamos satisfeitos com a posição do outro na sociedade e torcemos para que o outro não se dê bem. O Professor Felipe Aquino, grande estudioso da palavra de Deus, e que costuma escrever artigos na Canção Nova diz que “a inveja é um vírus da mente, um terrível mal da alma”.

***

Partindo para uma visão psicológica, alguns psicólogos, como Percival Puggina, Antônio Carlos Alves de Araújo Visite e Alfredo Adler, fizeram estudos sobre a inveja e descreveram que ela mata, devasta o ser humano, destrói a pessoa, e corrói o mais intimo  dos seus pensamentos.

Umas das características do invejoso é que ele é sutil e discreto.A inveja passa por um processo de evolução.  Nos casos mais extremos o invejoso vive tramando a infelicidade da pessoa invejada,tornando-se um ser frustado. Recentemente, tive a oportunidade de assistir, no History Channel, a um documentário sobre os sete pecados capitais, sendo  um deles a inveja. O documentário afirmava que, por natureza, somos invejosos, só que precisamos trabalhá-la para buscarmos o equilíbrio. Quando temos o desejo de superar alguma situação por causa de um exemplo de alguém que se tambem superou, considera-se uma inveja positiva.Mas a partir do momento que a pessoa invejosa deseja o mal para o invejado, torna-se uma inveja do ponto de vista negativo. Algumas definições para esse pecado foram colocadas, das quais destaco a seguinte: Querer algo para si mesmo e querer que o outro não tenha.

O documentário ainda destacava que a inveja não se refere somente a coisas materiais, mas ela pode ser direcionada tambem para um aspecto social, como por exemplo, uma pessoa que é eleita prefeito de uma determinada cidade e faz uma administraçaõ bem diferente dos prefeitos anteriores, sendo mais eficiente. Algumas pessoas, por inveja, não reconhecem suas qualidades e tentam a todo custo derrubá-la.

Para melhor ilustrar o que seria a inveja, irei apresentar uma pequena fábula:

“Num certo dia, uma cobra voraz desejava a todo custo abocanhar um inofensivo vagalume. Este perguntou-lhe:

– Serpente, tu, que és tão poderosa, porque me desejas aniquilar?

A serpente respondeu-lhe:

– O teu brilho fascina-me e como eu não o posso ter, minguem mais o terá. Por isso quero te devorar.”

Por mais que a pessoa invejosa tenha grandes coisas  e seja uma pessoa poderosa e influente na sociedade, ela nunca fica saciada,  caso descubra que a pessoa invejada tenha alguma coisa que a esteja fazendo feliz. É justamente o caso dessa serpente, tão grandiosa e poderosa e que descobre que um simples vagalume tem algo que a serpente jamais poderá ter. Isso foi motivo suficiente para que a serpente se decidisse pela morte do pequeno inseto.

Anúncios

9 Respostas para “A inveja

  1. Parabéns pelo texto Andréa! Falar de um pecado apenas fazendo abordagens descritivas e previsíveis é facil, mas, em contrapartida, você soube exemplificar fatos que deixaram transparecer ao leitor a gravidade que está em aderir ao pecado da inveja em demasia.

    Eu sempre acreditei que um pecado como este, não fugindo o contexto dos pecados capitais é claro, não é mais que um erro comum e inerente à natureza humana. Só que isto, para mim é levado em consideração, até o ponto em que ainda não diz respeito a vida de outro indivíduo, em se tratando de medidas como vingança e similares, enfim numa manifestação humana de livra de um peso que atormenta.

    Portanto, mas uma vez, acho que este texto deixou claro que tudo de mais é venêno, até mesmo algo que faz parte da propria natureza humana. E que este veneno tem o poder de desvirtuar não só a vida espiritual das pessoas, mas vida psicosocial de um homem numa sociedade.

    Mais uma vez parabéns pelo texto.

  2. “O ódio espuma. A preguiça se derrama. A gula engorda. A avareza acumula. A luxúria se oferece. O orgulho brilha. Só a inveja se esconde.” (Zuenir Ventura)
    Perfeito. Concordam? “Só a inveja se esconde”. Tentemos analisar os pecados capitais e perceberemos como essa afirmação é perfeita. É fácil identificarmos as pessoas que possuem tais pecados, eles modificam o nosso semblante; mas a inveja não. Sabemos quando invejamos; mas o mesmo não acontece quando somos objeto de inveja. E quando isso acontece, é tarde. O mal já foi feito. Por ele não ter “rosto”, é necessário uma maior atenção nesse pecado.

    Parabéns pelo texto.

  3. A inveja é a mãe de todos os pecados. Não apenas por ter sido ela a primeira a aparecer, mas também por estar sempre relacionada de alguma forma a todos os outros crimes capitais. Por ser sorrateira e silenciosa, a inveja gera vários outros pecados: morte, adultério, ira, roubo, gula, mentira, falsidade, desonestidade, etc. devemos fazer um estudo profundo e individual desta doença espiritual em nossos corações, afinal muitas vezes achamos estar livres deste pecado, mas se pensarmos bem nas motivações que nos levou a cometer pecados, muitas vezes a Inveja será a matrona de nossas ações.

    O mais importante de todo o estudo aquém desse tema, é a furtividade com que a inveja age. Assim, mesmo quando ela é fácil de se perceber (como no caso de Caim e Abel) esta se recobre de outros pecados (ira, morte, mentira, etc.) para que nós não a percebamos, e não nos arrependamos de cometê-la.

    Parabéns pelo texto Andréa.

    xD

  4. Sem dúvida a inveja provoca muitos males. Ela não está associada somente a bens materiais, mas, para mim, ela se traduz em ausência de Deus. Eu não estou cheio de Deus, por isso, sinto falta de algo que me preencha: o carro que o outro tem, o sorriso do outro, a mulher do outro, a fama, o estilo, a habilidade, a tristeza, o alfinete…

    Não adianta também querer figurar como santo. Todos nós somos atingidos por este mal, uns em maior, outros em menor grau. Resta praticarmos a humildade, a generosidade e o desapego, para aumentarmos nosso amor próprio e o nosso amor ao próximo e a Deus, haja vista que a inveja reflete carência desses três amores.

    Falta de amor a Deus porque não o reconheço como suficiente e bastante para preencher a minha vida;

    Falta de amor ao próximo porque quando o invejo, quero ter o que ele tem, mesmo que isso signifique que ele mesmo deixe de ter;

    Falta de amor próprio porque nunca estou satisfeito comigo, julgo-me incapaz, e só os outros têm méritos, têm sorte, bênção, etc.

    Parabéns pelo texto e pela bela reflexão, Andréa.

  5. Como foi dito em um dos comentários, a inveja é a mãe dos demais pecados capitais. Algo que deixa isso bastante claro é o modo com ela nos cega, acaba com a luz da razão. Muitos são os exemplos de pessoas ricas que invejam outras pessoas ricas, mas muitas vezes algumas pessoas que são pobres, não invejam as pessoas ricas, isso não faz sentido, faz?
    Uma característica de todo pecado é que todos são insaciáveis, e quanto mais a pessoa perde o controle da situação, mais ela quer mais, e piores são as conseqüências. Muitas pessoas ricas pensam que possuem tudo, ao perceberem que não possuem, buscam ferozmente tê-lo. Muitas pessoas pobres, no entanto, sabem que não possuem tudo o que o dinheiro pode dar, mas sabem que têm o suficiente, desse modo, não invejam os que tem mais que eles, mas satisfazem-se com o que possuem. Não quero dizer com isso que pessoas ricas são invejosas e pessoas pobres são boazinhas. Foi apenas um exemplo para ilustrar a minha opinião.

    Ah! Sim! Foi legal esse exemplo seu, quase no final do texto, sobre um prefeito eleito que faz uma administração brilhante, mas que pessoas, por inveja, não admitem seu feito, e buscam derrubá-lo, lembra alguém que eu conheço! 😀

    Parabéns pelo texto!

  6. Realmente Deborah,a minha intenção foi esta.Espero que todos percebam.
    Iria colocar mais coisas,mas não seria ético da minha parte.rsrsrsrsr!!!!

  7. Outro dia eu estava conversando com meu esposo e na brincadeira eu disse a ele: amor eu não vou comprar mais aquela determinada coisa, porque vi na casa de uma pessoa.Ele olhou para mim e disse: minha filha sabia que isto é inveja.Passei o dia revendo meus conceitos.Hoje quando vou pensar em falar esse tipo de coisa,só lembro do que ele me disse. Às vezes Deus usa pessoas para nos alertar de prováveis erros e pecados.

  8. Parabéns pelo texto Andrea!
    Muito bom mesmo.
    Essa hist[ória de “não vou comprar porque vi na casa de alguém” me fez lembrar quando, principalmente as mulheres, ficamos com raiva quando encontramos alguém com a mesma roupa numa festa, é o fim do mundo! Uma coisa que passa tão despercebida e nem nos damos conta de que é inveja. Tem invejas que realmente são construtivas. VocÊ se espelhar em alguém para ser cada vez melhor é uma coisa, mas a partir do momento em que eu não me importo comigo, em melhorar, e quero apenas que tal pessoa não seja a melhor, é uma inveja destrutiva, tanto para quem a tem (fica frustrada como andrea disse) como para quem é invejado.
    Apesar de ser sorrateira, tem vezes que dá pra identificar a inveja. O tom de voz da pessoa quando te parabeniza por algo é o que denuncia. Mas em 90% dos casos não dá pra saber mesmo, pois ela se esconde na falsidade. Todo mundo inveja e é invejado, mas como o próprio Deus disse: “A ti vai seu seu desejo, mas tu deves dominá-lo.”

    Parabéns de novo Andrea!!

  9. “Só a inveja se esconde” acrescentando esse trecho.
    “Por sua natureza e seus efeitos, o ciúme se aproxima da inveja. Porém, entre ciúme e inveja permanecem algumas diferenças. Na inveja, sentimos que outros possuem um bem que desejamos para nós, enquanto no ciúme defendemos um bem que julgamos nosso e que não desejamos ver partilhado com outrem.” (Pierre Charon)

    Não grite sua felicidade tão alto, a inveja tem sono leve”

    Parabéns a autora desse texo, muito bem enfatizado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s