Do “Grande Chefão” ao “homem da caverna”

Por Maria Déborah Ribeiro Nascimento

Dedico esse texto a todos os “pegadores” e “tigrões”.

Pretendo com esse texto mostrar o “outro lado da moeda” sobre a realidade feminina e, evidentemente, a masculina também. Pra vocês que se acham muito espertos, fiz uma pequena pesquisa e consegui algumas informações que decidi compartilhar com vocês. Dos estudantes que cursam o ensino superior, 56,35% são mulheres (em sua maioria nas áreas de ensino, saúde e serviços sociais). Durante a semana, a jornada diária da mulher é 5% maior que a do homem, e nos fins de semana é 326,62% maior. E mesmo assim, seus salários são muito inferiores aos do sexo oposto.

Além disso, as mulheres estiveram sim, presentes na história. Na área da medicina e da ciência, Merit Ptah (2700 a.C.), é o mais antigo registro de uma mulher na medicina. Hipátia de Alexandria escreveu textos sobre geometria, álgebra, astronomia e credita-se a ela a invenção do hidrômetro. Maria, a Judia, foi a inventora de equipamentos para a química, como o banho-maria (de onde o nome Maria, em homenagem) e um tipo de alambique ou aparelho de destilação simples. Entre muitos outros exemplos.

Outro aspecto que queria frisar é as diferenças do cérebro masculino e feminino (cientificamente comprovado): “o cérebro das mulheres é aproximadamente 10% menor que o dos homens (meninos, não se animem), porém, possui maior número de conexões entre as células nervosas; o cérebro masculino é voltado para a compreensão, enquanto o feminino é programado para a empatia; as imagens mostraram que o lobo parietal inferior, área envolvida em atividades matemáticas, é maior no cérebro deles. Portanto, os homens costumam ser melhores em tarefas matemáticas, enquanto as mulheres se saem melhor em atividades verbais; as mulheres são mais emotivas e expressam com mais facilidade seus sentimentos do que os homens, porque o sistema límbico delas é mais desenvolvido do que o deles.”

E por fim a melhor parte (vingança):

“Segundo o jornal, as mulheres superam os homens em duas dimensões fundamentais: representatividade e desempenho. Ou seja, além de ser a minoria no ensino superior dos EUA e, os homens que estão na faculdade vão pior. Por que vão pior? Embora a notícia não tenha a pretensão de oferecer conclusões definitivas e não tenha validade científica, a impressão que dá é que os homens são vagabundos, pura e simplesmente.”

Portanto, com esses poucos exemplos, dá muito bem para responder a esta pergunta: qual cérebro realmente não se desenvolveu? O feminino, que mesmo sofrendo séculos e séculos de restrições, limitações, preconceitos e proibições, ainda assim, conseguiu todas as vitórias (algumas citadas acima) conquistadas até hoje, ou o masculino, que mesmo com toda a evolução do mundo, insiste em permanecer com um pensamento pré-histórico, de que ele é o maior, mesmo que tudo ao seu redor de mostre o contrário? Vamos lá querida(o) leitora(leitor), não é tão difícil assim, até um homem consegue responder!

Ah! Talvez esse machismo, essa necessidade de se sentir sempre o mais forte, o maior, seja comum desse gênero pobre de visão. Quem sabe o fato de serem egoístas, orgulhosos, prepotentes, e safados, sem falar na incapacidade de olhar além do seu próprio umbigo, possa justificar essa capacidade que eles têm de manterem sua maturidade mental equivalente à de uma criança de três anos. O que? Não posso generalizar? Nem todos os homens são iguais?

Perdoem-me homens, se vocês não gostaram de eu ter analisado apenas um lado da moeda, ou se vocês não se identificam com o homem descrito anteriormente. Mas adivinhem! Nós mulheres também não somos todas iguais! E o fato de vocês sempre analisarem apenas um tipo de mulher, formando apenas um perfil de mulher, é esperado de seres limitados como vocês.

Mas quem será mais idiota? Uma mulher sem vergonha, que dança nua, ganhando dinheiro pra isso, ou será o homem que se mostra incapaz de resistir a tais encantos e paga cada vez mais para essas mulheres mostrarem sua beleza (cada vez menos natural)? Quem será o animal mais irracional? Ou limitado?

A verdade é que tanto mulheres quanto homens evoluíram e regrediram bastante durante toda história. Porém, com a cultura que, infelizmente, ainda hoje vivemos, a quem é dada mais ênfase? Às mulheres que usam seus “popozões” e aos homens que usam seus cérebros, é claro. Será que ninguém consegue ver que nesse mesmo mundo também ocorre o contrário? O problema é justamente esse: fomos “adestrados” desde os primórdios, a vermos apenas um lado da situação. E esse tipo de “visão cega” e distorcida não nos deixa enxergar o que está bem diante dos olhos: a mulher é tão independente quanto o homem.

Abram os olhos homens! Nesse pouco tempo que tivemos de “liberdade”, conseguimos muito mais do que apenas o direito ao voto. Enquanto vocês olham o “popozão” de umas, muitas outras se mobilizam, buscando seu espaço. Evoluam! Não se limitem à sua ignorância de “homem das cavernas”! Não perceberam? As coisas mudam!

E o mundo? Ah! O mundo dá voltas…

Anúncios

17 Respostas para “Do “Grande Chefão” ao “homem da caverna”

  1. É….

    Intrigante esse texto de Déborah, por ser uma clara (e agressiva) resposta ao texto de Reinaldo Filho. Em primeiro lugar, quero ressaltar a forma: o texto está MUITO bem escrito, como tem sido regra quando é Déborah quem escreve. Fala de forma clara e deixa seu recado (e que recado) muito evidente.

    Já em relação ao conteúdo, cara irmã… Surpreendeu-me a sua postura. Tudo bem, entendo que você encarou o texto de Reinaldo como uma ofensa às mulheres. No meu comentário me expressei a respeito da minha interpretação do texto dele. Mas, mesmo que eu entendesse que a intenção dele era ser machista, jamais concordaria com essa guerra dos sexos. Meu ponto de vista para os conflitos vai na contramão de tudo: se um dá um murro, não vou revidar, vou procurar acalmá-lo. Se há vulgaridade, não vou responder com vulgaridade, mas com dignidade redobrada. Se há machismo, para mim, a pior forma de se defender é com feminismo. É preciso compreender que homens e mulheres não são inimigos naturais (e nunca serão, senão a humanidade se extinguiria muito rapidamente, todos compreendemos isso). Pelo contrário, o homem é complementado pela mulher e vice-versa. O sentimento que tem que brotar entre eles é de amor, admiração, carinho, ou qualquer outro positivo. Jamais rancor, disputa, ódio etc. Compreendo a sua angústia, Déborah, e sei o quanto é difícil ser colocada no mesmo saco de todo esse joio do qual Reinaldo falou. Mas devemos ser críticos: tanto os homens quanto as mulheres devem reconhecer as falhas do seu gênero e se envergonhar disso. Eu me envergonho de saber que, para muitas mulheres, os homens são todos canalhas e adúlteros. Envergonho-me porque elas têm razão! É muito, muito difícil encontrar um homem que seja fiel à sua esposa, noiva ou namorada. Isso depõe contra o homem, e por isso mesmo, eu tenho que responder com meu testemunho, aonde quer que eu vá. Por isso não perco tempo, e sempre que posso (e até às vezes, quando nem poderia) estou falando do meu amor à minha esposa, da minha fidelidade a ela. O que não posso é, à força de defender o gênero masculino, diminuir o feminino. O que eu diminuo (e lamento, e me envergonho também) é essa vulgaridade que tomou conta das mulheres (da grande maioria das mulheres, leia-se). Como falei no comentário que fiz ao texto de Reinaldo, por conta da “igualdade”, elas se chafurdam na lama como os homens têm feito, ao invés de manterem sua dignidade. Tem-se comprado a igualdade pelo custo da dignidade, e isso não posso suportar, porque sou um apaixonado pela mulher. Tudo na mulher tem encanto: seja seu corpo, perfeito, e elaborado por Deus para atrair o homem, seja seu comportamento – sutil, contido, suave, gracioso, DIGNO. Isso tudo, infelizmente, tem se perdido por conta de uma luta ESTÚPIDA para se colocar no mesmo patamar que o homem, como se houvesse tal patamar. A mulher tem se confundido nessa luta, e, enquanto tem conquistado importante (e merecido) espaço nas atividades em geral, para ALCANÇAR os homens e, muitas vezes superá-los, tem também ido na direção oposta: para ALCANÇAR os homens na sua vulgaridade, têm afundado e afundado, e perdido a sua graça, o seu encanto, a sua beleza que é tipicamente feminina. Hoje não se vê mais uma mulher corar ao ouvir um palavrão; pelo contrário, meninas sabem até mais xingamentos que os meninos! É mulher ficando bêbada, falando vulgaridades, FAZENDO vulgaridades, VIVENDO vulgaridade…

    Essa luta, minha cara irmã, eu quero, sinceramente que a mulher perca. Já basta os homens serem vulgares, adúlteros e tudo o mais. À mulher cabe a tarefa de guardar a pureza, como o fez – e ainda faz – a Virgem Maria.

    Um abraço.

  2. Palmas! O texto está muito, mas muito bem escrito e argumentado. Parabéns.

    E infelizmente para mim, ao menos, eu nunca disse que as mulheres eram todas vulgares e burras, afinal seria a mesma coisa que destruir com minha família que conta com tantas mulheres dignas e decentes. E muito menos falei que todos os homens eram gênios e grandes nomes da ciência e da arte, afinal os meus comentários foram claros nos dois sentidos. O caso é que as mulheres, na verdade Déborah e Renata, pois Andréa foi bem comedida no comentário e até concordou com algumas coisas, só entenderam a parte que quiseram no texto: as mulheres são isso ponto final. Mas em todo o texto ouve argumentos dizendo, como Leo enfatizou, que após anos de grandes mulheres buscando ideais, algumas delas, para se igualar aos homens, se tornaram símbolos de vulgaridade, ícones da indecência.

    Ou tro ponto que não concordei no seu texto foi o ponto que você citou algumas mulheres, pois afinal não foram apenas estas, existiram e existem muitos nomes femininos em todas as áreas. E em nenhum ponto esse assunto foi abordado no outro texto. nós sempre conhecemos mais grandes nomes masculinos por que todos conhecemos a realidade de até alguns anos atrás, onde havia o sexo oprimido e o opressor.

    Bem no mais acalmem os ânimos, como Leonardo mesmo disse acima (num comentário muito bonito, parabéns), não existe, ou ao menos não deveria existir, guerra entre os sexos. Somos diferentes, o homem é mais racional, a mulher é mais emotiva, afinal eles devem se completar, e não se estrangular. Não adinata ficar medindo o cérebro de um ou de outro. O que devemos fazer é reconhecer que os dois gêneros apresentam pessoas deficientes, nós nos envergonhamos de fazer parte de um grupo desse, mas como diz a teoria dos conjuntos, existe A o conjunto das mulheres, e B o conjunto dos homens. E nós, pessoas racionais e exemplares que deveríamos ser, fazemos parte do conjunto AB, aqueles que não traçam linhas de diferenças, afinal todos deveriam ser iguais.

    E terminando, Eu quero pedir aqui a revogação dos últimos dois textos. Torná-los textos comuns, sem tema. Afinal o tema DEVERIA ser BRASIL. E este tema não é brasileiro, Reinaldo Filho pode dizer que ele citou algumas palavras culturais brasileiras (popozudas e cachorras), mas foram apenas exemplos, no mais o texto foi apenas um texto polêmico. No caso de Déborah ela nem ao menos citou o Brasil, falou de gregos e troianos, mas de Brasil nada.

    Se não mudarmos os textos, o tema deveria ser mudado. Deixem tema livre, e o Brasil fica pra próxima. Fugiu muito do tema, e o único texto que foi sobre o Brasil nem ao menos foi comentado por todos os catalisadores… 😛

    xD

  3. Perfeito Déborah! Arrasou!

    Vocês dizem que para as mulheres a coisa tem que ser explicada tim tim por tim tim. Mas são vocês que não entendem. Não devemos brigar. Como Leonardo disse, uma guerra entre os sexos extinguiria a humanidade. Mas a resposta de Déborah ao texto de Reinaldo filho, ao menos para mim, soou como um comentário em resposta ao texto dele, porém um comentário mais bem elaborado, e não acho que isso seja se rebaixar ao mesmo nível (em termos de linguajar) de Reinaldo, ela apenas quis chamar atenção, e tocou no ponto chave que eu tinha até comentado com Eduardo. Só se fala na regressão da mulher, só se subestima a mulher, tudo recai sobre nós. Achei perfeito o seguinte trecho: “Mas quem será mais idiota? Uma mulher sem vergonha, que dança nua, ganhando dinheiro pra isso, ou será o homem que se mostra incapaz de resistir a tais encantos e paga cada vez mais para essas mulheres mostrarem sua beleza (cada vez menos natural)? Quem será o animal mais irracional? Ou limitado?”. Não somos animais irracionais que não conseguem controlar seus instintos. Se existem mulheres assim é porque existem homens que aplaudem esse tipo de atitude. E não venham dizer que esses mesmos homens riem da cara desse tipo de mulher. Muitos, de fato, acham que é sinônimo de independência e gostam disso. Não estou justificando nada, mas apenas dizendo que os homens, em geral, precisam olhar mais para o próprio umbigo, se é que querem ser chamados de “animais pensantes”.

    Quanto á questão intelectual, o motivo de Déborah colocar exemplos de mulheres com grande contribuição para a ciência e outras coisas mais, é justamente o fato de sempre servimos de piadas que envolvem burrice. Por que isso? O fato de querermos tudo explicadinho é uma característica inerente à mulher, e não sinal de ignorância, como vocês homens certamente pensam. E isso é o que mais irrita. Podem falar da vulgaridade, da safadeza – sem generalizar – mas da incapacidade provada com salários menores, jamais. Isso não tem nada a ver com ser homem ou ser mulher.

    Parabéns de novo Deby. Foi uma resposta a altura. Perfeitamente escrita!

  4. Não concordo com esse tipo de atitude que algumas pessoas têm, de ficar perdendo seu tempo julgando ou tentando mostrar se a mulher evoluiu ou se o homem ficou por baixo ou não. É justamente por isso que muitos casamentos não dão certos ou relacionamentos, pois o homem vive em função de está preocupado em saber que ele é quem manda na casa, já a mulher fica preocupada em saber que marido nenhum manda em mim e eu vou fazer o que bem quero. Só gostaria de frisar uma coisa, ninguém é melhor que ninguém, nem maior, os dois precisam viver em harmonia e buscar viver o equilíbrio, viver um morrer para o outro. Nos mulheres precisamos parar com isso de achar que somos independentes e precisamos agora andar mostrando nosso corpo que é “o templo do Espírito Santo de Deus”, e homens vivam a castidade e valorizem as mulheres recatadas. Temos Debora, que pregar isto e não viver uma guerra. Vamos todos fazer a diferença. Quando eu era adolescente, antes de conhecer meu amor, sempre tive em mente que nunca seria iguais aquelas meninas de andar de qualquer jeito ou de querer mostrar para os homens que eu era a poderosa, me guardei e pedia a Nossa Senhora para reservar um homem de Deus, pois eu estava aqui a sua espera. Não estou querendo imitar Leonardo, apesar de que nem li o texto dele, mas, as mulheres precisam ser Maria e os homens ser José. Pegando como gancho isso que você disse: “Quem será o animal mais irracional? Ou limitado?”, acho que já falei tudo. Em fim os dois são muito é burros, pois não sabem o que é o verdadeiro prazer da vida. Gostaria de deixar claro que estou me referindo às pesquisas que Debora fez.
    Beijos!!!!!!

    • Puxa vida Andréa, você interpretou completamente errado a intenção do meu texto. Eu nao quero uma guera não, nem quero que isso seja uma eterna discussão ou briga entre homens e mulheres, não mesmo. Eu tenho convicção que sou uma mulher melhor do que a grande maioria, não me acho, só tenho certeza que sou mais valorosa que tantas outras, justamente pelo fato de eu sempre dar muito valor a mim mesma!
      Além disso, se Rei fez um texto falando das mulheres, por que nós mulheres não podemos ao menos responder? Não é que eu queira comprar uma briga, minha intenção ao escrever esse texto foi o seguinte (deixando muito claro): Rei falou do lado podre das mulheres? EU falei do lado podre dos homens, nada mais. Claro que eu fiz alguma piadinhas no meio do texto, mas foi só pra descontrair…:D

      Talves se você lesse meu texto com essa linha de pensamento, você poderia entender o ponto de vista meu e de Renata.

      Valeu 😛

  5. Olha, receio que interpretaram mal meu texto. Eu não quero criar uma briga nem coisa parecida, eu apenas fiz o que Rei fez no texto dele, analisar apenas um tipo de homem, no caso, a grande maioria. E eu SEI que a maioria das mulheres são SEM-VERGONHA mesmo, e vocês perguntam por que eu e Renata damos tanta importância a isso, já que não estamos inclusas nesse grupo de mulheres. Nós não queremos defender essas mulheres que estragam a bela imagem feminina. Mas sim, tentar abrir a mente das pessoas que homens e mulheres tem vitórias e derrotas, acertos e erros, mas que nem um nem outro é melhor. Eu não quero dizer que nós mulheres valemos mais que vocês homens, não mesmo. Eu aliás, não me considero feminista, eu não defendo como uma doida que mulher é melhor que homem. O que eu queria era justamente o que Léo disse: um completar o outro. Mas infelizmente isso não existe ainda.
    Enquanto ao que Renata disse, do meu texto ser como um “comentário mais elaborado”, é verdade sim, eu comecei a escrever esse meu texto como comentario do texto de Rei, mas percebi que estava muito grande e Rei me deu a ideia de fazer um texto em resposta ao dele, aí só foi dar uma ajeitadinha e pronto, deu no que deu.
    E eu coloquei exemplos de mulheres que fizeram história, por que sempre me fazem essa mesma pergunta: você já viu alguma mulher na história? Inventar alguma coisa? E o pior que eu não sabia responder. Fiquei feliz por que pesquisei algumas coisas e pude ver que mesmo não tendo muitos direitos na época, as mulheres ainda assim conseguiram fazer parte da história.
    Ah! E não se preocupem, eu mesma num quero guerra entre sexo não, sou da paz :D, só foi para “equilibrar a balança”. ^^

    No mais, obrigada pelos parabéns!

  6. Bem, na verdade não adianta dizer que se é da paz e que não se é feminista. Vocês se incomodam bastante com essas coisas. E não adianta. Reinaldo Filho foi infantil, na verdade, sabendo que esse texto ia ferir demais algumas pessoas e fez, claro, de propósito. Vocês cairam na dele de se revoltar, isso tudo é besteira. Hoje em dia ainda mais, cabe-se apenas reconhecer que existem homens e mulheres fúteis e ignorantes. Não digam que não sentiram por que sentiram, Não somos machistas, falamos às vezes que mulheres são assim ou assado por que vocês são feministas o suficiente para se enraivar com essas brincadeiras infantis, brincadeira esta que reinaldo fez em seu texto e Déborah fez um comentário mais infantil ainda. 😛

    quem diz que é da paz deveria reconhecer sempre prós e contras, e não fugir totalmente do tema da rodada apenas para responder uma besteira infundada, todos sabem que essa discussão nunca levará a lugar algum simplesmente por que não existe motivo. Ninguém aqui é radical. Deixem pra lá.

    Eu até daria uma nova idéia: que tal recomeçar a rodada? Estou com vontade de escrever outras coisas sobre o Brasil…

    xD

    • Ai ai viu, se vocês não são machistas quem é qu é então?
      Puxa vida! Num dá pra entender isso não, por que, só me diz por que a gente não pode DEFENDER nosso ponto de vista? Por que defender nosso ponto de vista é ser tão infantil assim?
      Tá bom, não quer discussão então beleza, só queria mesmo que me explicassem, por que quando vocês dão sua opinião, significa que vocês estão dando o seu “parecer crítico”, e quando a gente quer defender e dar a nossa opinião, quer dizer que somos infantis. Vocês interpretam mal demais o que a gente fala e o nosso posicionamento. Tá tudo bem então, escreverei em breve um texto sobre o Brasil já que você faz tanta questão de ressaltar a minha infantilidade e irresponsabilidade por demorar a escrever o comentário do seu texto e a minha fuga ao tema dessa rodada. Vamos que vamos…

  7. ???
    Essa eu não entendi. Eu disse que Reinaldo Filho foi infantil por ter feito esse texto sabendo que iria atingir tanta gente. E disse que é infantilidade de Você e Renata se sentir tão mal assim com uma besteira dessas. A questão é o seguinte: não existe diferenças. Cada um tem seu forte, até mesmo dizer que o homem é melhor na matemática é bobagem. Isso é generalizar, igual ao tema dos gêneros. Você finge calma, mas mesmo assim está fervendo por dentro, eu entendi seu ponto de vista, mas é questão é: Nós não achamos as mulheres inferiores, nunca fui. Só converso besteiras por que vocês se importam, só pra brincar e ver você se enraivecendo. disse que você é infantil por não ter comentado o texto de Reinaldo Filho, mas você já o fez e pediu desculpas. agora acabou;

    Quanto a fugir do tema, não disse que você era infantil por ter feito isso. Disse que você e Rei não fizeram um texto sobre o tema. Afinal esse é um tema universal e não brasileiro. Existem homens e mulheres burras no Brasil, mas existem em outros locais também. Essa é uma opnião minha. Isso não quer dizer que os textos não valeram na rodada oficial. Só acho que por uma briga besta que não leva a nada o tema central foi deixado de lado.

    Desculpe se disse alguma besteira, da mesma forma que vocês não me entendem eu não entendo vocês, o que prova que essa discussão não leva ninguém a lugar algum.

    té mais

  8. Quanto a demora pra escrever o comentário me desculpe, na verdade eu não tinha visto que você tinha comentado. e o fato é que você não vêem o seguinte, só pra provar, ao menos de minha parte, que tudo que falo é brincadeira: vocês, quando se fala de mulheres burras e incompetentes, perdem a noção da realidade, se enraivecem, etc. quando se fala em homens burros eu dou risadas e o maior apoio, pois sou o primeiro a falar de homens ridículos.

    😛

    só responderei agora a noite, ou talvez amanhã, estou saindo do trabalho. Comente aê que depois eu re-comento!

    😀

  9. Você querer dizer que não é machista é inadmissível! Em algumas coisas, até que é mais flexível, mas em outra é absolutamente machista.
    Não entendo também porque você acha que essa resposta de Déborah foi infantilidade. Da mesma forma que Reinaldo Filho expôs a opinião dele, ela expôs a dela. Não tentamos esconder nossa raiva, se assim o fosse não haveria respostas ao texto de Reinaldo. E isso também não é motivo de briga, sabemos disso. Não é porque existem essas diferenças de opiniões que vamos deixar de falar o que pensamos uma vez que vocês já falaram. Se sabem que esse tema é polêmico e pode irritar uns e outros (não falo só do texto de Reinaldo F., mas em conversas corriqueiras mesmo) porque não evitam? Parecem que têm prazer em nos ver irritadas. Se gostam disso, então não reclamem da nossa reação.
    E outra coisa. Está certo que o blog tem suas rodadas fixa e paralela, mas já foi deixado bem claro que quem quisesse colocar textos fora do tema podia, não foi? então pronto.

    Ficou parecendo que eu estou com muita raiva, mas não estou, estou falando normalmente, sem nenhum ressentimento em particular. Temos, apenas que aceitar as opiniões diferentes de ambos os sexos, mas ninguém entra numa discussão que não seja para tentar convencer o outro do seu ponto de vista, ou “abrir” (ou qualquer coisa que seja) a cabeça do outro, e é por isso que surgem as brigas.

    Aceitamos a opinião de vocês, mas não concordamos e pronto. É simples. São vocês que complicam.

  10. É COlém disso, as mulheres estiveram sim, presentes na história. Na área da medicina e da ciência, Merit Ptah (2700 a.C.), é o mais antigo registro de uma mulher na medicina. Hipátia de Alexandria escreveu textos sobre geometria, álgebra, astronomia e credita-se a ela a invenção do hidrômetro. Maria, a Judia, foi a inventora de equipamentos para a química, como o banho-maria (de onde o nome Maria, em homenagem) e um tipo de alambique ou aparelho de destilação simples. Entre muitos outros exemplos.
    Dos estudantes que cursam o ensino superior, 56,35% são mulheres (em sua maioria nas áreas de ensino, saúde e serviços sociais). Durante a semana, a jornada diária da mulher é 5% maior que a do homem, e nos fins de semana é 326,62% maior. E mesmo assim, seus salários são muito inferiores aos do sexo oposto.
    “o cérebro das mulheres é aproximadamente 10% menor que o dos homens (meninos, não se animem), porém, possui maior número de conexões entre as células nervosas; o cérebro masculino é voltado para a compreensão, enquanto o feminino é programado para a empatia; as imagens mostraram que o lobo parietal inferior, área envolvida em atividades matemáticas, é maior no cérebro deles. Portanto, os homens costumam ser melhores em tarefas matemáticas, enquanto as mulheres se saem melhor em atividades verbais; as mulheres são mais emotivas e expressam com mais facilidade seus sentimentos do que os homens, porque o sistema límbico delas é mais desenvolvido do que o deles.”
    Segundo o jornal, as mulheres superam os homens em duas dimensões fundamentais: representatividade e desempenho. Ou seja, além de ser a minoria no ensino superior dos EUA e, os homens que estão na faculdade vão pior. Por que vão pior? Embora a notícia não tenha a pretensão de oferecer conclusões definitivas e não tenha validade científica, a impressão que dá é que os homens são vagabundos, pura e simplesmente.”
    Gostaria de deixar claro mais uma vez que o meu comentário esta diante da pesquisa que Debora fez e não da pessoa dela
    Débora se me expressei mal e te magoei me perdoe, nunca quero pensar em te magoar principalmente por palavras.

  11. Debora, me desculpe mesmo, foi mal.Em momento algum pensei em você para argumentar seu texto .O meu comentário todo foi em cima das suas pesquisas.quando eu me referia a pessoas foi as pessoas da sua pesquisa,me desculpe..
    Puxa vida estou me sentindo muito mal com isso tudo.

  12. Debora se e uma garota que eu admiro nesta vida é você,portanto jamais eu iria me referir desta forma, se referindo a sua pessoa.Não fique triste comigo não mulher?

    • Não Andréa, que isso, relaxa. Eu não tô irritada com você não. Que isso, eu só quis te explicar melhor o meu objetivo ao escrever o texto, mas não fiquei magoada com o que você disse não, que isso, relaxa. ^^

  13. Caramba!!!!!!

    Estou impressionado!!!

    Coloquei o texto ontem à noite, e hoje já tem 15 comentários!!!

    Finalmente algo botou esse blog pra funcionar!

    Está vendo, Eduardo, você vem falar de arte… Tem que falar é de nádegas mesmo!! kkkkkkkkkk

    Estou brincando. Mas sei que ninguém ficou com raiva de ninguém por conta dos posts e comentários de Rei e Deby. Concordo com Eduardo que eles não deveriam ser considerados parte da rodada Brasil. Mas o resultado foi ótimo. Lembram que um dos objetivos do blog era aprendermos a criticar e a sermos criticados? Pois bem, esses dois posts foram ótimos por conta disso. Haja opinião divergente!!!

    Agora à noite, enquanto voltava de viagem com Reinaldo, eu discutia a minha opinião. Ele defendia seu texto, mas eu disse que ele era um dos homens que ele tanto atacava: assiste ao pânico, gosta de ver as mulheres se vulgarizarem na TV. Ele respondeu mais ou menos: “Você tem a sua esposa, eu não devo satisfação a ninguém, posso assistir sim!”. Eu respondi que devia satisfação à própria consciência, pois estava transformando as mulheres em objeto. Ele disse: “E que diferença faz se eu parar de ver?” Aí ficou calado, porque entendeu o recado. Se ele é tão contra essa mulher que faz isso, por que contribui para que ela continue fazendo?

    Expressei então meu ponto de vista:

    A mulher (estou falando em sentido macro) faz isso como resposta à pressão do homem. A mulher é um ser emocional, o homem mais movido a instintos, muito levado, por exemplo, pelo que vê. O homem sempre vai tentar pressionar a mulher a mostrar mais, a ser mais “liberal”, a permitir isso, aquilo, etc. A mulher acaba cedendo aqui, ali, nisso, naquilo, e vai abrindo mão de sua dignidade em nome de se colocar num mesmo patamar com o homem. Aqui cabe uma ressalva. Quando falei de igualdade no comentário anterior, e do texto de Rei, refiro-me unicamente à igualdade no campo da sexualidade. Assim, a mulher se torna vulgar por que cede aos apelos dos homens. “A culpa é dos homens então?” Em parte sim. Os homens são culpados porque pressionam; as mulheres, porque cedem. Mas, na minha opinião, a culpa maior cabe ao homem, porque se os homens parassem de pressionar, as mulheres não teriam mais porque ceder. Claro que é uma visão bem grosso modo, mas é minha opinião.
    E isso que importa: todos tiveram uma opinião a dar. Espero que ninguém fique magoado ou chateado. O objetivo do blog é, repito, aprender a aceitar críticas e aprender a criticar.

    A minha sugestão é de, ao final da rodada do Brasil, Reinaldo e Déborah postarem cada um um texto, primeiro Rei, depois Deby, falando sobre algo do nosso país. Reinaldo argumentou comigo no carro que o que chama a atenção dele no Brasil é a vulgaridade, mas isso não é próprio do nosso país, tem em qualquer lugar, todos concordamos. Mantemos esses textos, pelas ótimas discussões geradas, e, no dia 23/01 Rei escreve e no dia 30/01 Deby escreve.

    O que os dois acham?

  14. Sempre discuti com Deborah esse tipo tema, mas sempre colocando para ela que as “Mulheres” que tanto me referia eram as popozudas, safadonas e piriguetes. De maneira alguma generalizaria, pois tenho Mãe e irmã perfeitas, que devo total respeito e admiração. Agora, se foi um erro escrever esse texto, então perdão. Mas como Deborah colocou, levantou um pouco os ânimos dos catalisadores. Essa discussão serviu para o aprendizado de ambos.

    Valeu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s