Sonho de uma noite de verão – William Shakespeare

05/05/2010

por José Reinaldo do Nascimento Filho

A história amorosa se inicia com o Duque Teseu, que se prepara para casar com a rebelde Hipólita. Antes do casamento, Teseu é chamado para resolver uma disputa amorosa envolvendo a romântica Hermia e seu pai Egeu. Hermia ama Lisandro, mas Egeu deplora a idéia e quer forçá-la a se casar com o bom partido Demetrius. Como Teseu sela o destino infeliz da garota, Hermia e Lisandro decidem fugir para a floresta. Enquanto isso, Demetrius é perseguido incessantemente pela apaixonada Helena, e o duende Puck, a mando de Oberon decidem bagunçar a ordem natural das coisas. Arma com Puck um plano envolvendo uma poção mágica, que fará com que qualquer pessoa se apaixone pelo primeiro ser vivo que ver pela frente, a partir de então pessoas se apaixonam por burros e…

E agora vocês criem coragem e leiam a peça!

“Teseu – Mas muito mais feliz na terra é a rosa que destilar se deixa do que quantas no espinho virgem crescem, vivem, morrem em sua solitária beatitude”. (Gostei dessa mensagem para as encalhadas)

“Lisandro – Então, minha querida, por que as faces tão pálidas assim? Qual o motivo de murcharem tão rápido essas rosas?

Hérmia – Talvez por falta da água que lhe viesse da tempestade dos meus próprios olhos”.

Sobre o amor:

“Helena – (…) As coisas baixas, sem valia alguma, de crassas deixa o Amor leves qual pluma. O Amor não vê com os olhos, mas com a mente; por isso é alado, e cego, e tão potente. Nuca deu provas de apurado gosto; cego e de asas: emblema de desgosto. Eterna criança: eis como é apelidado, por ser sempre na escolha malogrado. Como os meninos quebram juramentos, perjura o Amor a todos os momentos. Assim Demétrio, quando Hérmia não via, me granizava juras noite e dia; mas ao calor do seu formoso riso dissolveu-se de súbito o granizo. Da formosa Hérmia vou contar-lhe a fuga. É certeza: no bosque ele madruga, para segui-la. A mim essa notícia vai ensejar de vê-lo a hora propícia. Se o vir na ida e na volta, de corrida, feliz me considero e enriquecida”.

Anúncios

Uma resposta para “Sonho de uma noite de verão – William Shakespeare

  1. Aproveitando a confissão da postagem anterior, Raul Seixas fala por mim:

    “Coragem, coragem, se o que você quer é aquilo que pensa e faz
    Coragem, coragem, eu sei que você pode mais”

    Fica o incentivo, de novo!

    WPC>

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s