Amor contado, pesado, dividido

Por José Leonardo Ribeiro Nascimento

Ânima infinita, que não acaba
Só assim  explicar esse sorriso tão doce
.
Sorriso de ventre rasgado
Peitos machucados, costas maltratadas
Olhos abertos, tanto, tanto tempo abertos
.
Sorri ao sofrer dando o que ainda não tens
Só para ver mais junto de ti quem mais perto estava
.
Cansaço não é nada, dor não é nada.
Sorri.
.
Sorrindo, me fazes chorar. E te amar.
Eu que o mais que faço é
Escrever no escuro.
Anúncios

3 Respostas para “Amor contado, pesado, dividido

  1. Tocou-me pessoalmente o detalhe do “ventre rasgado”…
    E o detalhe de pano nos cabelos ainda incipientes da rebenta.
    Reinaldo ontem estava realmente emocionado com o processo todo.
    Foi bonito.
    Parabéns!
    Viva as escritas no escuro!

    WPC>

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s