Melhores momentos 2010 – Eduardo

Por José Eduardo Ribeiro Nascimento

10 – Vida Maria – Márcio Ramos

Esse Curta é brilhante, ainda mais considerando que o autor fez tudo praticamente sozinho. O contraste entre o sonho infantil e a realidade adulta dá uma tristeza, um sentimento de desespero até. Quantos sonhos, dons e habilidades são perdidos pela falta de opção, pela desigualdade. Muito triste. O autor criou, em pouco mais de oito minutos, uma obra prima que deve ser lembrada.

 http://www.youtube.com/watch?v=bXZr-4m-3sY

9 – Dia e Noite – Pixar

Este Curta-Metragem, apresentado com o filme Toy Story 3, é impressionante. A Pixar sempre surpreende, com seus ótimos filmes e enredos, e com seus curtas sensacionais. Entrar no cinema  e ter como introdução ao filme um vídeo destes… é impressionante o nível de excelência que eles têm em suas produções.

http://www.youtube.com/watch?v=_1vEGFR5kjQ

8 – Onde os velhos não tem vez – Cormac Mccarthy

Li esse livro praticamente de duas “sentadas”. Uma na ida, no avião para Brasília, e outra na volta. Já conhecia a história por conta do filme dos Irmãos Cohen, mas o livro surpreende bastante. Infelizmente, ou felizmente, já que o filme é muito bom, é impossível você ler os personagens e não associá-los aos atores, assim toda a parte de visualização do texto se perde. Claro que isso não desmerece nem um pouco o livro. Leitura obrigatória.

7 – O Silmarillion – John Ronald Reuel Tolkien

Desde que começamos a jogar RPG (final de 1999), eu criei um tipo de obsessão por ler Tolkien, principalmente por O Senhor dos Anéis. Depois de ler a trilogia, e O Hobbit, minha obsessão voltou-se para este, o mais elogiado entre os fãs da terra média. Apesar de não ter (ainda) todos os livros do criador da Terra Média, sou apaixonado por sua criação. Você poderá ver minhas considerações sobre o livro aqui.

6 – Matemática no Cotidiano

Como os outros membros do Blog já sabem, uma leitora do Blog, Ingrid Furtado, repórter da revista Gestão Educacional, leu meu texto, gostou, e me convidou para uma entrevista para a próxima edição da revista, com o tema “Da teoria à prática – Física e Matemática para a vida“; não preciso nem comentar o quão gratificante e inesperado foi para mim. O meu primeiro texto para o Blog, e que, pelo tema, sempre foi meu post mais lido. O texto pode ser lido aqui.

5 – O conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas

Foi em 2010 que li esta grande obra de Dumas, e ela acabou sendo um dos meus livros favoritos. O livro para mim foi sensacional, quem quiser saber mais é só ler meu post.

4 – Toy Story 3

Impossível passar por um Top 10 anual e não incluir este filme (certo que Reinaldo também incluirá em sua lista). Eu tenho muitas lembranças fortes de minha infância, das brincadeiras e brinquedos, cenas etc. basta olhar alguns dos últimos textos de Reinaldo, ele descreve, fantasticamente, algumas de nossas brincadeiras da infância. Hoje, adulto, sabendo que aquele tempo não retornará jamais, assistir a Toy Story 3 é uma coisa impressionante.

3 – Terra Vermelha

Os contos de Terra Vermelha saíram um pouco de controle, ficando difícil unir três autores e temáticas diferentes; mesmo ele tendo sido interrompido bem antes de haver um “final”, valeu a pena. Tenho certeza que todos aprendemos algo com eles.

2 – Harry Potter

Sempre gostei de Harry Potter, desde o dia em que vi o primeiro filme, em DVD. Mas Harry Potter marcou 2010 para mim, por que foi em Julho que li os sete livros, mais Os contos de Bedle, o Bardo, e assisti ao penúltimo filme da série, o primeiro que assisti já sabendo do desfecho, por ter lido o livro. Existem três posts relacionados a Harry Potter, um sobre a Pedra Filosofal, outro sobre a Câmara Secreta, e um texto sobre a Série Harry Potter, escrito por Renata Déda, ex-integrante do Blog.

1 – Clássicos da Literatura Disney

Com certeza a MELHOR novidade do ano – ao menos para mim. A coleção, que comemora os 60 anos de publicação da revista O Pato Donald da editora Abril, revista mais antiga ainda em publicação no Brasil, traz, nos seus 30 volumes, 20 originais e 10 incluídos posteriormente, adaptações de cerca de 80 obras literárias famosas mundialmente. Temos Os Mosqueteiros, a Sociedade do Anel, Hamlet, Nibelungos, Futebol (sei que não é obra literária, mas rende boas estórias), viagens ao centro da terra etc., além, é claro, do Fac-simile da nº 1 do Donald, no tamanho original.

PS: As três últimas edições da coleção chegaram esta semana, revelando uma ótima novidade: A Abril está incluindo mais 10 volumes na coleção, que agora irá até o número 40!

Anúncios

4 Respostas para “Melhores momentos 2010 – Eduardo

  1. Então, Eduardo, dos três irmãos-autores, tu és aquele com tenho menos intimidade escrita, mas acho que não seria de muito mau tom futucar tuas indicações, uma por uma, também:

    10 – Sou fã deste curta-metragem desde que o vi num festival de cinema e fiquei admirado com o seu discurso pró-utilitarismo do aprendizado, mesmo que, diante de nossos juízos, tal “utilitarismo” pareça um “desperdício de potencial”. Em verdade, muitíssimos temas podem ser discutidos a partir deste curta-metragem e, quando eu o indiquei a Leonardo, a motivação imediata saíra de uma discussão sobre a importância pública de nossas “inteligências” que eu tive com Reinaldo lá em Santana do São Francisco. Pena que eu acho que ele não viu o curta ainda (não me deu retorno, pelo menos), mas, depois de um seminário público sobre Educação e Direitos Humanos na UFS, que o deixou pontualmente indignado, pude citar novos aspectos deste curta para ele, que voltaram em teoria numa mensagem de celular esbravejante como só ele sabe escrever (risos). Não só tenho muito orgulho deste curta, como fico pessoalmente muito feliz em vê-lo por aqui… Grata, muito grata surpresa!

    9 – Não vi esta “antecipação” animada ainda, mas, intuo, de fato, que seja muito bom. Confio na Pixar (risos).
    8 – é o livro das “sentadas” este, né? Comigo funcionou quase da mesma forma, com o diferencial de que eu fiquei positivamente empolgado em comparar as diferenças cruciais em relação à ótima adaptação dos irmãos Coen…

    Vide apreciação muito, muito empolgada aqui:

    http://gomorra69.blogspot.com/2010/11/pagina-36-questao-e-que-voce-nao-sabe-o.html

    7 – Nunca li nada do J. R. R. Tolkien até agora. Minha culpa!

    6 – estou em débito com esta postagem tua, mas conheço a estória bem-sucedida da mesma. Reinaldo já me transmitiu com empolgação e orgulho. Parabéns! Depois eu comento lá p que achei…

    5 – Também não li nada deste autor até então. Minha culpa de novo, mas tenho problemas com o tema da vingança… Herança religiosa.

    4 – Este filme atordoa, de fato. Até eu pensei que fosse desgostar dele, que não fosse funcionar comigo, visto que não tive brinquedos nem uma infância contente, mas… Marcou-me, justamente por aquilo que o Leonardo destacou: a sensação de partida, a despedida iminente… Usamos a mesma foto na postagem (heheheheh):

    http://gomorra69.blogspot.com/2010/07/sera-que-sou-eu-que-estou-ficando-velho.html

    3 Muito inspirados estes contos fraternos. Gosto particularmente da difícil coerência que vocês alinhavam: o teu misticismo benfazejo, a metalinguagem competente do inspirado Leonardo, os positivos clichês iracundos do moço que trabalhou comigo… Deu-me até vontade, muita vontade de conhecer esta Terra Vermelha em que vives. Em breve, estarei por aí, nem que seja de relance (*risos)
    2 – Tenho problemas com este bruxo, no sentido de que eu não entendia bem a funcionalidade da magia na saga (me parecia demasiado autotélica, sei lá), mas gostei o último livro e dos filmes dirigidos por Alfonso Cuarón (genial!) e David Yates (inteligente e político). É um bom começo, né? Leste meu texto sobre o mais recente filme?

    http://crticasdeumcinemanu.blogspot.com/2010/11/hhary-potter-e-as-reliquias-da-morte.html

    1 – De fato, tua empolgação com estes clássicos relançados da Disney era violentamente apreciável. Lia com fervor cada uma de tuas novas resenhas. Lembro que li algumas destas histórias na infância e já tive uma destas edições nº1, foi o primeiro bem material que consegui quando praticava a prostituição entre os 7 e 9 anos de idade. Uma boa lembrança desta época, afinal. Obrigado por reavivá-la. Depois eu vendi a revista por uma ninharia para comprar chicletes e ficar com os dentes podres (risos)

    É isso: bela lista!

    Wesley PC>

  2. Deixei um comentário gigantesco aqui, mas, como havia alguns ‘links’ no corpo do texto, ele deve estar esperando “moderação” do ‘site’ (risos). Por precaução, salvarei o comentário (risos). De resto, numa frase: gostei muito da pessoalidade de tua lista, no sentido de que a mesma permite que identifiquemos com minúcia de detalhes psicológico como tu és em relação a tuas referências culturais. E, definitivamente, isto é algo que me emociona! Parabéns!

    WPC>

  3. Imitando Wesley, vou fazer minhas considerações sobre sua lista, que, por sinal, está muito boa.

    10 – Excelente curta. Escrevi um pequeno texto sobre ele. Impossível ser um “sertanejo” e não se emocionar com essa bela história.

    9 – Os curtas da Pixar são todos geniais. Desde o do velho jogando xadrez contra ele mesmo até aquele dos pássaros. Este que antecedeu Toy Story 3 realmente é espetacular.

    8 – Cormac McCarthy já foi muito comentado por mim. Está também na minha lista.

    7 – Ainda não li Tolkien, mas pelo menos a famosa trilogia entrará um dia em minha lista.

    6 – Meus parabéns pelo texto. Realmente deve ter sido satisfatório ver seu texto ser tão acessado e ver também tanto interesse por ele.

    5 – Vi o filme e parece ser um excelente romance. Entrará na minha lista.

    4 – Não comento. Está no meu top 10.

    3 – Confesso que fiquei tentado a colocar os contos. A frustração por não vê-los terminados me impediram de fazê-lo. Mas gostei muito de Matias Santa Rosa. Tinha grandes planos para ele… Mas ele volta, eu acho.

    2 – Nunca li HP e acho que só assisti aos três primeiros filmes, sendo que o terceiro, não vi todo. Tenho certa resistência, talvez por ser um produto demasiadamente comercial, o que, usando os termos eruditos de outro blog, obnubila diversas características positivas da obra.

    1 – Ainda vou ler essas revistinhas. Tio Patinhas, Donald e os três sobrinhos fazem parte da minha infância. Viajava muito com as aventuras dos escoteiros, ou com as histórias de investigação do Mickey. Acrescento o fato de que suas resenhas para as obras eram perfeitas: seguiram um padrão cuidadoso e analisavam com detalhes os aspectos principais de cada obra. Chegou ao ponto de o autor (pelo menos assim ele se identificou) de uma das histórias responder a um comentário seu (e ele respondeu em italiano!).

    • hehe… pensei em ter colocado este fato na lista; o que me impediu foi o fato de não podermos ter a absoluta certeza de ser o próprio Sauro Pennacchioli que comentou minha resenha sobre a história o mágico de Ot. Apartir de segunda continuarei a postar as resenhas no blog, e espero parar apenas no volume 40. Leia o post, e o comentário, aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s