Dez Regras para Escrever Ficção

Por José Leonardo Ribeiro Nascimento

No site do Guardian, jornal inglês, há uma seção interessantíssima chamada Rules for Writers. Foi nela que encontrei o artigo “Ten rules for writing fiction” (Dez regras para escrever), dividido em duas partes, que podem ser acessadas aqui (parte 1) e aqui (parte 2).
Há diversos conselhos interessantes, de sorte que recomendo a leitura do texto original.
Abaixo, uma pequena compilação, com tradução própria (perdoem os erros):

Elmore Leonard: Usar advérbios é pecado mortal

1 Nunca abra um livro falando sobre o clima[…] Caso você seja Barry Lopez, que tem mais jeitos que um Esquimó para descrever o gelo e a neveno seu livro “Sonhos Árticos”, você pode fazer toda descrição do clima que você quiser.

3 Nunca use outro verbo que não “disse” para puxar um diálogo. A linha do diálogo pertence à personagem; o verbo representa o escritor intrometendo-se. Mas “disse” é menos intrusivo que “resmungou”, “advertiu”, “asseverou”.

4 Nunca use um advérbio para modificar o verbo “disse”… ele admoestou seriamente. Usar um advérbio deste jeito (ou quase de qualquer outro jeito) é um pecado mortal. O escritor estará expondo-se seriamente, usando uma palavra que distrai e pode interromper o ritmo do diálogo. Eu tenho uma personsagem de um dos meus livros que diz como ela costumava escrever romances históricos “repletos de estupros e advérbios”.

5 Mantenha seus pontos de exclamação sob controle. Não são permitidos mais do que dois ou três para cada 100.000 palavras de prosa.

6 Nunca use “de repente” ou “virou um inferno”. Esta regra não requer explicação.

Minha regra mais importante é aquela que resume as 10: se soa como escrito, eu reescrevo.

Diana Athill

1 Leia alto para você mesmo, porque este é o único jeito de se certificar de que o ritmo das sentencas está OK.

2 Corte (talvez devesse ser CORTE): só quando você não tem palavras dispensáveis, cada palavra indispensável pode ser contada.

Margaret Atwood

1 Leve um lápis para escrever em aviões. Canetas falham. Mas se a ponta do lápis quebra, você não pode apontá-lo no avião, porque você não pode levar facas. Portanto: leve dois lápis.

9 Não sente no meio da floresta. Se você perdeu o fio da meada ou está bloqueado, refaça seus passos até o momento em que você se perdeu. Então pegue outra estrada. E/ou mude a personagem. Mude o tempo. Mude a página de início.

10 Rezar pode ajudar. Ou ler alguma coisa. Ou uma constante visualização do santo graal que é a versão finalizada e publicada do seu resplandecente livro.

Roddy Doyle

1 Não coloque a foto de seu autor favorito na sua mesa, especialmente se ele for um daqueles famosos que cometeram suicídio.

2 Seja gentil consigo. Preencha as páginas o mais rápido que puder; espaço duplo, ou escreva a cada segunda linha. Conquistar cada nova página é um pequeno triunfo –

3 Até chegar à página 50. Então se acalme e comece a se preocupar com a qualidade. Sinta-se ansioso – é assim mesmo.

6 Tenha um dicionário, mas o mantenha nos fundos do jardim ou atrás do refrigerador, em algum lugar que exija deslocamento ou esforço. É provável que as palavras que vierem a sua cabeça servirão bem, como “cavalo”, “correu”, “disse”.

8 Mude de ideia. Boas ideias normalmente são assassinadas por ideias melhores.

Helen Dunmore

4 Releia, reescreva, releia, reescreva. Se não funciona ainda, jogue fora.

5 Aprenda poemas de cor.

Geoff Dyer

5 Mantenha um diário. O maior arrependimento na minha vida de escritor é que eu nunca tive um.

6 Tenha arrependimentos. Eles são o combustível. Nas páginas eles se inflamam em desejo.

10 Nunca ande de bicicleta com os freios. Se alguma coisa está se revelando muito difícil, desista e faça outra coisa. Tente viver sem recorrer à perseverança. Mas a escrita é toda sobre a perseverança. Você tem que se ater a ela. Em meus 30 anos eu costumava ir à academia, embora eu a odiasse. O objetivo de ir à academia era adiar o dia em que eu iria parar de ir. Isso é o que a escrita é para mim: uma forma de adiar o dia em que eu não vou mais fazer isso, o dia em que vou afundar em uma depressão tão profunda que vai ser indistinguível da felicidade perfeita.

Anne Enright

1 Os primeiros 12 anos são os piores.

2 O jeito de escrever um livro é, na verdade, escrever um livro. Uma caneta é útil, digitar também é bom. Continue colocando palavras na página.

3 Só os maus escritores pensam que seu trabalho é realmente bom.

 

Richard Ford

1 Case com alguém que você ama e que acha uma boa ideia você ser escritor.

2 Não tenha filhos.

8 Não deseje doenças para seus colegas.

Jonathan Franzen

1 O leitor é um amigo, não um adversário ou um espectador.

2 A ficção que não é uma aventura pessoal do autor ao amedontrador ou desconhecido não vale a pena escrever a não ser por dinheiro.

4 Escreva em terceira pessoa a não ser que um voz em primeira pessoa realmente característica se ofereça irrestivelmente.

8 É duvidoso que qualquer um com uma conexão à internet no seu escritório está escrevendo boa ficção.

Esther Freud

1 Corte as metáforas e comparações. Em meu primeiro livro eu prometi para mim mesmo que não usaria nenhuma e acabei usando em um pôr-do-sol no capítulo 11. Ainda ruborizo quando eu revejo.

3 Editar é tudo. Corte até que você não possa cortar mais. O que sobrar se torna vida.

5 Não espere por inspiração. Disciplina é a chave.

6 Confie no seu leitor. Nem tudo precisa ser explicado. Se você realmente sabe de algo e dá um sopro de vida nisso, eles também saberão.

Neil Gaiman

1 Escreva.

2 Coloque uma palavra após outra. Encontre a palavra certa e escreva.

3 Termine o que você está escrevendo. Não importa o que você tem para fazer, termine, termine.

David Hare

1 Escreva somente quando você tem algo a dizer.

P. D. James

1 Aumente seu vocabulário. Palavras são a matéria-prima da sua arte. Quanto maior o seu vocabulário, maior a efetividade da sua escrita.

2 Leia muito e com discriminação. Má escrita é contagiosa.

3 Não planeje escrever – escreva. Somente escrevendo, não sonhando com isso, que nós desenvolvemos nosso estilo.

A. L. Kennedy

9 Lembre que você ama escrever. Não valeria a pena se você não amasse. Se o amor desaparece, faça o que for preciso e recupere-o.

10 Lembre-se que escrever não ama você. Não importa. No entanto, pode comportar-se com generosidade notável. Fale bem da escrita, encoraje os outros, passe adiante.

Anúncios

Os comentários estão desativados.