Contos – Oscar Wilde

Por José Eduardo Ribeiro Nascimento

O retrato do sr. W.H.

Esse é o maior conto do livro, e também o mais maçante. A narrativa trata de uma análise dos sonetos de Shakespeare feita por alguns senhores. É interessante assistir a análise que se faz em cima dos sonetos e ver uma teoria se criar enquanto assistimos a louca obsessão dos protagonistas. E é exatamente essa obsessão que deixa o texto interessante, e a única coisa que nos deixa acordados na leitura. Afinal, qual o resultado de uma grande obsessão que se desenvolve do nada, e não almeja nada concretamente?

Avaliação: 2/5

O crime de lorde Arthur Savile

Esse conto é surpreendente, obrigatório para todos que gostam de uma boa literatura. Uma tragédia vai se formando na vida de Arthur Savile, primeiro por sua má-sorte, depois por suas péssimas decisões. Lembra um pouco filmes ao estilo Cova Rasa e um Plano Simples, onde as decisões erradas vão trazendo conseqüências incontroláveis, embora as conseqüências reais não sejam o objetivo do conto, que trata das consequências psicológicas causadas por uma informação assustadora. Uma história interessante, divertida e cheia de nuances interpretativas.

Avaliação: 5/5

A esfinge sem segredos

A curiosidade e a falta de confiança podem gerar problemas e desilusões eternas. Muitas vezes perdemos muita coisa simplesmente por não respeitar os limites dos outros. É com essa questão em mente que ficamos ao terminar de ler esse conto curto.

Avaliação: 3/5

O fantasma de Canterville

Um dos maiores clássicos de Oscar Wilde e eu ainda não havia lido. Conhecia apenas as inúmeras referências em filmes, séries, desenhos animados e quadrinhos. A adaptação que mais me agradou foi a que saiu em Clássicos da Literatura Disney – Volume 2. Na época que li, como não fazia ideia do conteúdo original, eu achei que a HQ tomava uma liberdade cômica muito grande; por isso me surpreendi ao ler e constatar que O fantasma de Canterville é realmente feito de bobo, apesar de ser um fantasma real, não consegue mais assustar ninguém. Ótimo conto, não sei como tinha passado todo esse tempo sem ter lido ainda.

Avaliação: 5/5

O milionário modelo

Esse conto é um clichê absurdo, já repetido várias vezes em centenas de histórias por aí, inclusive em clássicos como O príncipe e o Mendigo, de Mark Twain (ok, não é a mesma coisa exatamente, mas o tema central da história é praticamente o mesmo. Apesar de ser clichê e repetitivo, apresenta uma bela moral, e é sempre bom ler contos desse tipo.

Avaliação: 4/5

Nota Final: 4/5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s