A Tormenta de Espadas – George R. R. Martin

Por José Leonardo Ribeiro Nascimento

(Para ler o que Eduardo escreveu há algum tempo sobre este livro, clique aqui)

O terceiro livro da série “As Crônicas de Gelo e Fogo” prova mais uma vez que George R. R. Martin não tem problemas em maltratar seus personagens. A trama é bastante dinâmica, com um bom equilíbrio entre a Muralha (e além da Muralha), a parte central do continente, incluindo o Tridente e Porto Real, onde a guerra e as intrigas se desenrolam, e o leste, onde Daenerys começa a se tornar poderosa.

A Patrulha da Noite tem muito trabalho, não só com os selvagens, mas também com os Outros. Apesar de Jon se desenvolver bastante e se tornar de vez um dos personagens mais importantes de toda a história, para mim o destaque fica para o improvável Samwell Tarly, ou “Sam, o Matador”, epíteto recebido com justiça, apesar de toda a sua covardia, e seu encontro com uma estranhíssima figura que, raro nessa série, parece ser “do bem”.

Apesar de três casamentos surpreendentes, o momento que mais me chocou em relação à trama envolve Jaime Lannister, um dos mais temidos guerreiros de Westeros, orgulhoso de sua habilidade como tal, e que, de maneira completamente inesperada (para mim) se vê atingido no que mais preza.

Este livro também reforça mais uma vez meus personagens preferidos (e, acho, de metade dos fãs da série):  Arya e Tyrion.

Tudo bem que pequena loba na maioria das vezes não aparenta a pouca idade que tem, mas é inevitável se render à sua bravura, impulsividade e anseios. O momento que encerra sua participação no livro, envolvendo uma pequena moeda de ferro, não poderia ser mais empolgante, e estou ansiosíssimo por suas aventuras no quarto volume da série.

Tyrion no terceiro volume se encontra numa situação bem diferente daquela do segundo livro, quando era a Mão do Rei e salvou a cidade com sua genialidade. Aqui ele percebe o quanto tem que se esforçar para jogar o jogo dos tronos e como não pode confiar em ninguém. Sua despedida no livro também é eletrizante, ainda sobrando tempo para fazer uma piadinha escatológica sobre o ouro dos Lannister.

O que é interessante nesse volume é como ele se afasta do centro do segundo livro: a guerra dos cinco reis. Em A Tormenta de Espadas fica evidente para o leitor (e para os homens da Muralha) que o problema maior é outro, e há coisas muito mais graves com que se preocupar. Contudo, ao final, George R. R. Martin mostra que ainda há reis (apesar de não mais cinco) lutando pelo trono de ferro, e o desenrolar dessa briga promete muito.

Inserindo muita, muita coisa mesmo ao universo apresentado pelo primeiro livro e cujo desenvolvimento começou no segundo, George R. R. Martin não comete o erro de Lost, por exemplo: a famosa série encheu a primeira e a segunda temporadas de questões, enigmas, mistérios e, principalmente, ganchos (os famosos “cliffhangers”). O primeiro volume de As Crônicas de Gelo e Fogo apresentaram diversos ganchos e mistérios – a existência ou não de dragões, os outros, o que há além da muralha, o mistério envolvendo a morte de Jon Arryn, a adaga para matar Bran, e tanta, tanta coisa mais. George R. R. Martin sabe segurar o suspense, mas nos surpreende também ao resolver muitas situações. Ele não maltrata o leitor mantendo vivo TODOS os mistérios indefinidamente. Sempre que resolve algo ele cria outra situação, e assim a história fica sempre dinâmica. Os gigantes existem mesmo ou são só invenções da Velha Nan? E a tentativa de assassinato de Bran, de quem foi a ideia? E o assassinato de Jon Arryn? Quem é Arstan? Valar Morghulis realmente tem algum significado? Existe magia verdadeira em Westeros ou ela está morta? Essas e muitas outras questões são mais do que respondidas nesse terceiro capítulo dessa sensacional saga que é As Crônicas de Gelo e Fogo.

P.S.: A quase menção a The Walking Dead no Epílogo do livro conseguiu me surpreender completamente.

Minha Avaliação:

5 estrelas em 5

Anúncios

3 Respostas para “A Tormenta de Espadas – George R. R. Martin

  1. Pingback: O Festim dos Corvos – George R. R. Martin « Catálise Crítica

  2. Pingback: Minhas leituras em 2012 « Catálise Crítica

  3. Adoro ese livro. Na última temporada eu amei, e fiquei emocionada para Season 7 Game of Thrones eu estava animado em todos os momentos, me desespero longa espera tanto tempo para ver o próximo, mas já próxima estreia, partilho horários e data de lançamento para esta nova etapa, tenho certeza de que, depois de Então, espere, Game of Thrones vai cumprir as nossas expectativas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s