Resenha – A Máquina do Tempo – H. G. Wells

máquina (Mobile)

Por José Eduardo Ribeiro Nascimento

Viajar no tempo é um dos temas mais presentes em nossa sociedade, seja na forma de ficção (desenhos animados, quadrinhos, livros e revistas), ou em nossas próprias cabeças: todos já se imaginaram voltando ao passado, para rever alguma ação, ou estar presente em algum momento histórico, ou descobrindo coisas novas no futuro… Nesse quesito, Wells foi um dos pioneiros, não apenas escrevendo essa aventura clássica, mas também descrevendo o tempo como uma quarta dimensão, representação utilizada até hoje por muitos autores e roteiristas de histórias fantásticas.

O livro conta a história de um cientista, cujo nome não é revelado, que cria uma máquina do tempo e resolve testá-la, viajando para um futuro distante, no ano de 804.701. Lá ele encontra uma civilização dividida entre os pacíficos Elois e os selvagens Morlocks. É uma história simples e rápida, que em 140 páginas nos diverte e abre nossa mente e imaginação.

Sou grande fã de Julio Verne, já tendo inclusive resenhado alguns livros dele aqui no blog, e como ambos escrevem sobre aventuras fantásticas, e assim que comecei a ler comecei a comparar os dois autores. A principal diferença entre eles é que Verne tem uma grande fixação em descrever os detalhes da física em suas histórias, tentando descrever suas experiências científicas de forma mais plausível possível. Como exemplo temos o livro Da Terra à Lua: a primeira parte do livro é basicamente para descrever a criação do canhão e do projétil que levarão os pioneiros para a lua, materiais usados, metais fundidos, local de construção, horário de lançamento etc. Já Wells diz simplesmente que o homem construiu a máquina. Ponto. Ele não se preocupa nem mesmo em descrever como se parece essa máquina, fato que foi criticado pelo próprio Verne na época.

TIME_MACHINEASSY_1 (Mobile)

Para Wells fica evidente que o principal não é o como, mas o quê. A história em si, a aventura. É um belo livro (e a minha edição pela editora Alfaguara é muito linda), divertido e que revive o gênero em nossas mentes, e é quase impossível não se imaginar desbravando o tempo…

3 estrelas em 5 (história curta e simples, mas muito divertida).

Anúncios

Uma resposta para “Resenha – A Máquina do Tempo – H. G. Wells

  1. A Máquina do Tempo é um livro muito interessante justamente porque ele vai além do que se é esperado. O próprio personagem não tem desejos mesquinhos ( como a maioria dos filmes de viagem no tempo), descobre pouco a pouco novidades que antagonizam as anteriores e tem um tema – que me parece ser que o conceito da falta de evolução que se é gerada pelo próprio avançar da tecnologia – que encaixa bem legal na curta história. Vale a pena!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s