Beatriz & Virgílio – Yann Martell

Beatriz-e-Virgilio

Por José Eduardo Ribeiro Nascimento

A lista de livros obrigatórios que já foram lidos por Reinaldo e Leonardo e que ainda não li, é imensa. Comecei a reparar esse erro com as indicações de livros que fizemos no final de 2013, como mencionei no meu texto sobre Luz em Agosto (indicado por Reinaldo), e agora estou lendo o primeiro da lista que me foi dada por Leonardo.

A expectativa ao iniciar o livro era grande, por que meus dois irmãos já tinham lido, e haviam recomendado, e por que eu já vinha falando com Ítallo, amigo do trabalho, também apaixonado por livros, e que tinha gostado desse livro ao ponto de citar passagens de memória. Com o livro em alta, iniciei a leitura, que infelizmente, me decepcionou…

Sobre o livro, ele conta a história de Henry, um escritor que, após ter publicado um livro que fez grande sucesso, tenta publicar um novo livro com a temática voltada para o holocausto. Mas fracassa. Com a moral de escritor baixa, e se ocupando de outras atividades, Henry recebe uma correspondência com um trecho de uma peça de teatro, e acaba se envolvendo com os personagens da peça, uma mula e um macaco, habitantes do país “camisa”, e com o autor da peça, um taxidermista. Henry acaba se comprometendo a ajuda-lo na parte descritiva do texto.

A história segue com uma linguagem simples, o que torna a leitura rápida. Mas, findo o livro, a sensação que me deu foi a de ter lido apenas mais um livro. A forma de contar a história, é, sim, original, mas não passa de um bom livro. O que dá a ele um toque mais único são as últimas páginas, intituladas brincadeiras de Gustav. Esses pequenos trechos já fazem valer a leitura do livro. Muito bom.

Conclusão? O livro é bom. Vale à pena, e apesar da temática (holocausto) já ser bem batida, ele traz algumas ideias originais que nos fazem pensar e até nos emociona. Não é mais do mesmo.

3 estrelas em 5.

Anúncios

3 Respostas para “Beatriz & Virgílio – Yann Martell

  1. Aahahah!
    A grande coincidência, é que comecei a lê-lo ontem (!!!). Quando recebi o feed do blog nem acreditei no título… Ah!, claro, estou lendo por indicação do Reinaldo.

    Espero que eu goste mais que você!

    Abc!

    • Interessante como as opiniões variam. O “Brincadeiras para Gustav” funcionou como um soco no estômago depois da leitura. Eu gostei demais do livro, tanto que já o li duas vezes. Espero que você goste neste nível, Gustavo.

  2. As “brincadeiras” realmente dão um novo tom ao livro, singularizando a história. Gostei muito do livro, principalmente pelos diálogos, reconstruindo os fatos com o máximo de cuidado, não por ser proibido, ma sim por ser doloroso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s