Vídeo: Graça Infinita – David Foster Wallace

8 Respostas para “Vídeo: Graça Infinita – David Foster Wallace

  1. Spoilers:

    Só faltou falar de uma coisa: Pemulis! (Kkkk) não sei porque mais achei a história dele bastante comovente, é claro que nada se compara ao choque que é o caso da estátua “O extase de Santa Tereza”.

    Quanto a Joely: sempre lia 10 páginas do livro toda noite antes de dormir, depois que foi descrito como ela “conseguiu” usar o véu e descrito o filme “A piada infinita”, sério, nunca mais li ele pela noite, tinha um medo dos infernos de sonhar com ela e ficar lobotomizado pelo efeito.
    Depois desse livro conheci deformidades que nem saberia que existiam, e não só parecia difícil imaginar como seria o Mario, como também até hoje fico imaginando como deve ser a mulher do Marathe (outro personagem de peso, diga-se de passagem)

    Realmente o livro além de pesado em algumas partes parece não querer “caminhar”, como no, para mim, confuso jogo de eschaton. Em algumas partes torcia para que o capítulo logo fosse dominado por Don Gately kkkk já que a academia de tênis parecia muito monótona; não sempre , é claro, de lá também resultam coisas inimagináveis e interessantíssimas

    Quanto ao final: creio que o espectro com quem Don Gately conversa seja “Ele mesmo” (não sei se já tradução do Galindo ficou assim). Já que ele queria livrar o seu filho da anedonia, resultante da geração do prazer imediato.
    Segundo: não sei o motivo mas não tive pena nenhuma do Orin… Já quanto ao Hal, daria um bom filme do próprio Jim, com o jovem e Don Gately em busca da fita kkkkk o que tudo indicam estão a procura: “enquanto eu e Donaldo Gately desenterramos a cabeça do meu pai” (falando nisso: o suicídio mais criativo de toda a literatura!)

    Quanto ao final do torneio: não me lembro bem se no primeiro capítulo Hal deixa claro, e também estou com preguiça de pegar o livro é procurar, mas acho que Marathe mudou de ideia depois da conversa com a moça na Ernest House , e que meio que foram furados os planos do grupo terrorista em evadir a academia.

    P.s: “A graça infinita” é o “Ulysses” da nossa geração.

    • SPOILERS, SPOILERS, SPOILERS ABAIXO:

      Cara, a história do irmão do Pemulis é muito, muito, muito bizarra e triste. Por mais que eu tenha falado quase meia hora, não dava pra falar em todas as histórias deprimentes, sempre associadas a substâncias, que povoam o livro. Há, contudo, algums momentos marcantes, como foi essa história do irmão do Pemulis, aquela horrível da moça grávida andando com o bebê morto (!!!!!!!!!!!!!!!), e a própria história da Joelle e do seu acidente. Bizarro demais. A história de amor de Marathe também merece estar num filme de David Lynch, sem dúvidas.

      De todo o livro, meu personagem favorito era o Hal, mas o Don Gately também é excepcional, e as lembranças da origem do vício dele, logo no início do livro, são espetaculares.

      Quanto ao final do livro, realmente era o “Sipróprio”, como ficou a tradução para o “Himself”. E de tudo, o que achei mais tocante nas confissões dele foi o fato de que ele só tentou fazer o filme supremo, o “samizdat”, para se comunicar com Hal, para quem ele previa um futuro perigoso, o que acabou se revelando verdade.

      Foi também deveras estranho aquela reação de Hal no primeiro capítulo, que na verdade é o final do livro. Porque ele se comportava até razoavelmente bem, do ponto de vista social, lá dentro da ATE, mas claro que era com pessoas com quem ele tinha convivido a vida toda. Naquele primeiro capítulo é muito bizarro que ele tente dizer uma coisa e as pessoas ao seu redor ouçam e vejam algo chocante e completamente diferente.

      Enfim, o livro rende muitas, muitas discussões.😀

      • Ah, e praticamente terminar o livro citando Dostoievski e Laranja Mecânica foi demais!

      • Coitado do Hal mesmo,
        Sobre o bebê morto: olha que já li livros bem nojentos mesmo mas nada se comprada a isso ou ao mendigo que se caga todinho (esqueci o nome dele), era lendo o livro e quase enguiano (kkkk)
        Realmente o livro rende muitas discurssoes, afinal do que se esperar de um autor que critica essa nossa geracão do puro entretenimento? Kkk

  2. Boa noite, video muito interessante e o legal é que estimula a encarar mil páginas, pois percebe-se que o livro merece, caso necessário, uma leitura mais pausada para mergulhar no universo criando pelo escritor. Quando você disse que levou uma hora para ler trinta páginas você quis dizer: trinta folhas (o que daria 60 páginas contando frente e verso da folha) ou sequência númerica tipo da página 1 até a página 30 o que dá quinze folhas se não estiver contando frente e verso? Enfim, qual a média de páginas por folhas lê em uma hora, a curiosidade e para saber se minha média é boa ou preciso melhorar, pois você deve ter a velocidade ideal pois é um leitor assíduo! Sei que tem aquela ideia de cada um lê no seu ritmo, mas você entende a pergunta é claro! Pode responder pelo meu e-mail! Abçs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s