Harry Potter e a Pedra Filosofal – Edição ilustrada

capa hp

Por Eduardo

Sobre Harry Potter, e a ficção fantástica…

Quando li Harry Potter pela primeira vez em agosto de 2010 (resenha aqui), e foi um vício instantâneo (nesse mesmo mês li os 7 livros). Quem acompanha o blog, e até vendo os últimos posts, já percebeu minha predileção por livros de ficção fantástica, tendo Tolkien como meu autor preferido, e o mundo criado por J. K. Howling é fascinante em muitos sentidos diferentes.

Não tenho que apresentar Harry Potter a ninguém, a menos que a pessoa tenha sido aprisionada em um vórtex temporal nos últimos 19 anos (o primeiro livro foi lançado em junho de 1997, e o primeiro filme em novembro de 2001), então vamos direto ao ponto: na literatura de ficção, o que atrai os leitores é a possibilidade do fantástico, do irreal. Seja na Terra Média épica de Tolkien, ou a brutalidade de Westeros (As crônicas de gelo e fogo e Guerra dos tronos), nos deixa apaixonados pelas possibilidades de aventuras, os personagens cativantes, bravos aventureiros etc. Porém tudo isso não passa de sonho (ou de uma partida de RPG).

harry-trolls

Em Harry Potter temos a fantasia mesclada à nossa própria realidade. Há crianças que já nascem em lares bruxos, mas outros como Hermione, e o próprio Harry, que nasceram/foram criados sem o contato, e de repente são lançados no mundo fantástico. Um mundo que está bem ali fora, disfarçado pela magia, escondido dos olhos dos trouxas (gente comum, sem nada de mágico). É impossível para uma criança da faixa etária dos 10 – 14 anos, ou até para mim, que à época tinha meus 21, não se imaginar recebendo a carta de convocação de Hogwarts, não imaginar quão legal seria comprar uma varinha mágica, aprender a soletrar Vingardium Leviosa, e não Leviosá, e fazer testes para o time de Quadribol; e, por que não, de quebra, enfrentar bruxos das trevas, e o próprio Valdemort em pessoa.

Outro ponto que lhe deixa mais imerso ainda no universo é a evolução dos livros. O primeiro livro é claramente infantil, com cantigas de hinos escolares, chapéu falante, aborrecimentos menores para os personagens (apesar de situações perigosas reais), a linguagem, e a interpretação dos personagens para o que acontece é infantil. Isso evolui absurdamente conforme a idade dos personagens, e dos leitores, avança. E pra quem é fã mesmo, J.K.Howling dirige um site oficial (Pottermore)para a franquia, que, dentre outras coisas, serve para expandir o universo. Nele Howling publica textos oficiais sobre escolas de outros países (temos a Ilvermony, nos EUA, Mahoutokoro, no Japão, e até Castelobruxo, a escola oficial do Brasil – todas com vários detalhes interessantes).

Sobre a nova edição ilustrada…

harry-armário

No ano passado eu vi que seria lançada essa versão ilustrada no Pottermore, e cheguei a pedir na Amazon br em dezembro, numa dessas compras grandes que eu e meus irmãos fazemos. Por sorte, saiu do estoque no fechamento da compra. Pouco tempo depois, soube do lançamento nacional do livro pela Rocco. Decidi aguardar… e valeu à pena!

O livro é absurdamente lindo. Tinha já visto algumas ilustrações nos previews, mas pegar o livro, com a jacket lindíssima, capa dura, papel de qualidade sensacional… foi uma ótima re-releitura (além da primeira leitura em 2010, li a versão original em inglês em abril de 2014). Para quem se pergunta se vale à pena: se você gosta de livros, não da leitura em si, mas de ter livros, gosta de olhar pra eles, e de possuí-los, não há investimento melhor!

4 estrelas em 5 (a primeira vez que li, dei 5 estrelas, porém, mesmo com as ilustrações e edição belíssimas, algumas passagens mais infantis me impedem de dar a nota máxima – mesmo assim o livro está entre os meus preferidos do skoob😀 ).

 

 

4 Respostas para “Harry Potter e a Pedra Filosofal – Edição ilustrada

  1. Vai demorar um pouquinho para vir a coragem para lê-los, mas sei que gostei muito dos filmes, em especial o O Prisioneiro de Azkaban. Um dos pontos que mais me chamaram a atenção foi a mudança no tom dos filmes. O primeiro é muito infantil. Tudo é muito bonito de se ver, admirar; o comprometimento é mais com a apresentação do universo do que com a história. Mas aí vem as demais películas e nós começamos a entender como a autora foi feliz em suas escolhas. É como uma primeira aventura de RPG bem orquestrada. Nós enfrentamos um Ogro burro malvado que ataca um povoado, não vamos logo para o Boss final destruindo o mundo. É no desenrolar da trama, com o amadurecimento das personagens (e de nós como leitores) que nos deparamos com os verdadeiros problemas e perigos.

    Eu folheei rapidão esse livro e achei lindo. Vale sim a compra.

    Bons livros. Boas leituras a todos.

  2. Que saudosismo ver esse blog movimentado novamente😀

    Não li e dificilmente lerei HP, mas meu filho já leu todos🙂

    Quanto a edições ilustradas, são um deleite para amantes de livros. E viva o Catálise!

  3. Acabo de conhecer o Catálise Crítica, pelo canal no YouTube, e pretendo continuar acompanhando.

    Li postagens aqui que me cativaram, e o blog entrou na minha lista de blogs literários favoritos sem dificuldade.

    Gostei também do canal. Assisti vários vídeos lá. Espero que logo volte à atividade!

    Mantenham o bom trabalho😉

    Abraço!

    • Valeu mesmo, Lucas. E eu sou um dos que estão na torcida para que o canal volte mesmo. Quem produz os vídeos é meu irmão😀, Só que ele anda sem tempo mesmo. Mas vamos continuar aqui, aos poucos, com os textos. Ainda tem muitos a serem escritos e muitos para você ler😀

      Boas leituras e bons livros😀

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s