Dando uma nova cara ao Manual do Prof. Pardal de 1972

capa manual prof pardal

Por Eduardo

Sou um apaixonado por livros (assim como meus dois irmãos aqui do blog), e, naturalmente, uma das coisas que mais gosto é de comprar livros novos, ou simplesmente vasculhar uma loja, física ou online, procurando títulos, preços, olhando os lançamentos caprichados de editoras como a Zahar e a Darkside etc. Porém, mesmo gostando tanto de um belo livro novo, os livros antigos tem todo um charme próprio, seja na própria linguagem (o português antigo dá um quê de rebuscado à leitura), ou pela história que o livro carrega. Veja essa imagem como exemplo claro:


Inscricao

Provavelmente escrita pelo dono original desse manual que adquiri num sebo, ela dá ao livro um charme próprio, único. “Aracajú-SE, 28 de Maio de 1905 (?*), às 14h51, Sábado quente e nebuloso, Jorge Luís dos Santos”.

*O manual foi publicado em dezembro de 1972.

Porém, com todo esse charme, ele não fica tão bonito assim na estante. Pelo menos não quando há 50 livros novos para cada um antigo. Recentemente a editora abril republicou o Manual do Escoteiro Mirim, fac-símile fiel, que adquiri, naturalmente, e coloquei ele ao lado do seu irmão mais velho. Mas… não ficou bonito! Veja as fotos abaixo de como era o meu exemplar, antes de eu decidir mexer nele:

antes 1 lombada antes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na foto da lombada eu já tinha dado duas ou três mãos com tinta guache branca (a ideia de tirar fotos para colocar no blog só me ocorreu depois), mas dá para ver como ela estava ruim. Estava totalmente amarelada, arranhada, e na parte de cima estava um pouco rasgada. Não dava para ler praticamente nada do título do livro. Então decidi por em prática um plano antigo e resolvi dar uma cara nova nesse velho manual.

Usei cola e guardanapo  (papel macio e maleável) na parte rasgada da lombada, para fortificá-la, e pintei várias mãos de branco. Na capa, decidi repintar toda a arte com tinta guache:

arte 4

arte 3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Porém, o resultado não estava ficando bom. O guache não ficava uniforme, dependendo de quanto a capa estava desgastada, as cores assumiam um tom diferente. Parei aí, e tentei tirar a tinta com uma flanela umedecida… E quase destruí a capa! as cores na parte de cima ficaram muito pálidas, e bateu aquele arrependimento. Mas como o estrago já estava feito, decidi continuar, mas com outro material: canetas hidro cor:

arte 2

Continuei com o hidro cor, e o resultado foi ficando satisfatório. Terminada a capa, escrevi o título na lombada, tomando como base o novo Manual dos Escoteiros Mirins, e pra finalizar, uma mão de verniz na capa e lombada. No fim das contas, o resultado ficou bom (a imagem que abre o post já é o resultado final da minha pintura):

Lombada 2

Estante

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ficou bem legal na estante, não? Com o sucesso dessa primeira empreitada, vou continuar com outros livros da minha estante que estão precisando de uma repaginada. E então, o que acharam?

 

3 Respostas para “Dando uma nova cara ao Manual do Prof. Pardal de 1972

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s